SCARFACE, by Brian de Palma: Brilhante, Contundente e Violento

Recém foi anunciado que vai haver uma nova versão de SCARFACE, a ser dirigida pelo cineasta italiano Luca Guadagnino. O filme original, de 1932, feito pelo cineasta Howard Hawks é, até hoje, considerado um filme perfeito, assim como a interpretação de Paul Muni, como o gangster com a cicatriz no rosto.

Por todas estas razões, quando anunciou que refilmaria o clássico, em 1983, Brian de Palma recebeu mais caretas que sorrisos. Seu primeiro acerto foi colocar como roteirista um jovem ex-soldado no Vietnam chamado Oliver Stone. Stone, depois um brilhante e polêmico cineasta, fez um roteiro poderoso, contundente, crítico, violento e cheio de nuances sobre a América.

O elenco do filme de Brian de Palma, visto 37 anos depois, é primoroso. Al Pacino, como Toni Montana, o marginal cubano que vem para Miami disposto a tudo para subir na vida é nada menos que antológico. Michelle Pfeiffer, como a loira fatal Elvira está deslumbrante. Robert Loggia, Mary Elizabeth Mastrantonio, F. Murray Abraham, Steven Bauer, e Paul Shenar são um cast formidável.

A câmera – normalmente nervosa e movediça – de Brian de Palma nunca foi tão ágil e dinâmica. Há dezenas de cenas em que o espectador quase fica tonto, tentando acompanhar os movimentos de câmera.

A violência extrema do filme – cênica e verbal – é impressionante. Embora seja justo dizer que Brian de Palma, por exemplo na famosa cena da serra elétrica induza muito mais do que mostra.

SCARFACE, by Brian de Palma é um filme brilhante. Merece ser revisto sempre.

It was just announced that there will be a new version of SCARFACE, to be directed by Italian filmmaker Luca Guadagnino. The original 1932 film by filmmaker Howard Hawks is still considered a perfect film, as is Paul Muni‘s interpretation of the gangster with the scar on his face.

For all these reasons, when he announced that he would remake the classic in 1983, Brian de Palma received more faces than smiles. His first hit was to screen as a young Vietnamese ex-soldier named Oliver Stone. Stone, later a brilliant and controversial filmmaker, wrote a powerful, forceful, critical, violent and nuanced script about America.

The cast of Brian de Palma’s film, seen 37 years later, is exquisite. Al Pacino, like Toni Montana, the Cuban marginal who comes to Miami willing to do anything to get ahead in life is nothing short of anthological. Michelle Pfeiffer, as the fatal blonde Elvira looks stunning. Robert Loggia, Mary Elizabeth Mastrantonio, F. Murray Abraham, Steven Bauer, and Paul Shennar are a formidable cast.

Brian de Palma‘s camera – normally nervous and unsteady – has never been more agile and dynamic. There are dozens of scenes in which the viewer is almost dizzy, trying to keep up with camera movements.

The extreme violence of the film – scenic and verbal – is impressive. Although it is fair to say that Brian de Palma, for example in the famous chainsaw scene, induces much more than it shows.

SCARFACE, by Brian de Palma is a brilliant film. It always deserves to be reviewed.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.