NO CENTRO DO LABIRINTO: Na Busca do Bandido com Máscara de Coelho

Dois ótimos atores: um americano, 78 anos, Dustin Hoffman ( 2 Oscars de Melhor Ator por KRAEMER VS. KRAEMER e RAIN MAN); outro italiano, 61 anos, Toni Servillo (4 David di Donatello). A trama adaptada da festejada novela policial IL UOMO DEL LABIRINTO, de Donato Carrisi, o mesmo de A GAROTA DA NÉVOA.

O filme se chama NO CENTRO DO LABIRINTO (INTO THE LABIRYNTH), do cineasta italiano Donato Carrisi, o próprio autor do livro que originou o filme chega ao “early release” da Apple TV+ e Amazon Prime Video.

Policial com toques de noir e muitos ares de pulp fiction (no sentido amplo e não como filme de Tarantino), o filme narra os esforços da Polícia para localizar um criminoso que sequestra mulheres e as coloca em um labirinto. Uma delas é resgatada certa noite por um marginal, em meio a uma floresta. Ela tinha ficado 15 anos desaparecida.

Os principais investigadores são dois: um profiler (Dustin Hoffman sempre excelente) Dottor Green que fica pacientemente interrogando a moça reaparecida e um detetive particular (também cobrador nas horas vagas) que foi contratado pela família 15 anos atrás, o desconcertante Bruno Genko (mais um trabalho maravilhoso do ator Toni Servillo de A GRANDE BELEZA).

A questão central é que nada é o que parece. Quem realmente é quem, o que está efetivamente acontecendo e o que são delírios e sonhos dos personagens somente vai ficar claro no final do filme.

Valentina Bellè, Vinicio Marchioni, a atriz bielorrussa Katsiaryna Shulha, Orlando Cinque e Sergio Leone (não o falecido diretor) fazem o elenco mais do que perfeito.

Bem no gênero noir, INTO THE LABYRINTH tem um clima permanentemente sufocante, seja pelo calor italiano nas cenas externas, a tensão das cenas das raptadas no labirinto ou o clima claustrofóbico do quarto de hospital onde se dá o interrogatório.

Outro achado é o personagem do vilão: um homem com uma máscara de coelho com olhos vermelhos é um verdadeiro tesouro cênico de Carrisi, ainda mais pelos trocadilhos e metáforas que a trama faz.

Não sendo um filme fácil (ou agradável), esta produção rodada na mítica Cinecittá vale muito a pena. Principalmente para os fãs do gênero.

Two great actors: an American, 78, Dustin Hoffman (2 Oscars for Best Actor for KRAEMER VS. KRAEMER and RAIN MAN); another Italian, 61, Toni Servillo (4 David di Donatello). The plot adapted from the celebrated police soap opera IL UOMO DEL LABIRINTO, by Donato Carrisi, the same as in LA REGAZZA DELLA NEBIA.

The film is called INTO THE LABIRYNTH, by Italian filmmaker Donato Carrisi, the author of the book that originated the film arrives at the “early release” of Apple TV + and Amazon Prime Video.

A policeman with touches of noir and many airs of pulp fiction (in the broad sense and not like Tarantino’s film), the film chronicles the efforts of the Police to locate a criminal who kidnaps women and puts them in a maze. One of them is rescued one night by a marginal, in the middle of a forest. She had been missing for 15 years.

The main investigators are two: a profiler (Dustin Hoffman always excellent) Dottor Green who is patiently interrogating the reappeared girl and a private detective (also a collector in his spare time) who was hired by the family 15 years ago, the disconcerting Bruno Genko (another wonderful work by actor Toni Servillo from THE GREAT BEAUTY).

The central point is that nothing is as it seems. Who really is who, what is actually happening and what are the characters’ delusions and dreams will only become clear at the end of the film.

Valentina Bellè, Vinicio Marchioni, Belarusian actress Katsiaryna Shulha, Orlando Cinque and Sergio Leone (not the late director) make the cast more than perfect.

Right in the noir genre, INTO THE LABYRINTH has a permanently suffocating climate, whether due to the Italian heat in the external scenes, the tension of the abduction scenes in the labyrinth or the claustrophobic atmosphere of the hospital room where the interrogation takes place.

Another finding is the character of the villain: a man in a rabbit mask with red eyes is a real scenic treasure for Carrisi, especially for the puns and metaphors that the plot makes.

Not being an easy (or pleasant) film, this production shot in the mythical Cinecittá is very worthwhile. Mainly for fans of the genre.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.