FANNY ARDANT: Uma Grande Dama do Cinema Francês

Um dos filmes mais tristes que vi na minha vida foi A MULHER DO LADO, de François Truffaut. O brilhantismo do filme somente é igualado pela qualidade do roteiro e das atuações de um elenco soberbo.

Fanny Ardant e Gerard Depardieu vivem Mathilde Bouchard e Bernard Coudray, dois ex-namorados que muitos anos depois, se encontram como vizinhos, ambos casados com outras pessoas. O desenvolvimento da história e seu desfecho é de cortar os pulsos com uma colher enferrujada.

Fanny (que chegou a ser esposa do cineasta Truffaut e tem com ele uma filha) encantou os admiradores do cinema em títulos brilhantes como 8 MULHERES, DE REPENTE NUM DOMINGO, UM AMOR DE SWANN e RETRATOS DA VIDA.

Em 2013, Fanny Ardant, já com 64 anos, foi homenageada pelo cineasta Paolo Sorrentino, no excepcional A GRANDE BELEZA, com uma participação no filme, como ela própria.

Fanny Ardant é uma das musas eternas do cinema francês atual.

One of the saddest films I saw in my life was THE WOMAN NEXT DOOR (LA FEMME D’A COTÉ), by François Truffaut. The film’s brilliance is matched only by the quality of the script and the performances of a superb cast.

Fanny Ardant and Gerard Depardieu live Mathilde Bouchard and Bernard Coudray, two ex-boyfriends who many years later meet neighbors who are both married to other people. The development of the story and its outcome is to cut the wrists with a rusty spoon.

Fanny (who became the wife of filmmaker Truffaut and has a daughter with him) enchanted cinema admirers in brilliant titles such as 8 WOMEN, SUDDENLY ON A SUNDAY, SWANN’S LOVE and BOLERO (LES UNS ET LES AUTRES).

In 2013, Fanny Ardant, now 64, was honored by filmmaker Paolo Sorrentino, in the exceptional THE GRANDE BEAUTY, with a participation in the film, as herself.

Fanny Ardant is one of the eternal muse of contemporary French cinema.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.