A VOZ SUPREMA DO BLUES: BLACK LIVES MATTER Em Filme Incrível

Uma das tantas áreas em que a cultura afro traz contribuições essenciais à humanidade é, sem dúvida, a música. Listar compositores, cantores e músicos negros de primeiríssima classe é um exercício sem fim.

A NETFLIX está mostrando um de suas principais apostas para o Oscar: A VOZ SUPREMA DO BLUES (MA RAINE’S BLACK BOTTOM), filme que o cineasta George C. Wolf fez com Viola Davis e Chadwick Boseman (em sua última interpretação, o que dá ao filme e ao seu personagem um toque ainda mais trágico e nostálgico).

O filme é grandioso. Baseado na peça teatral de August Wilson (texto magnífico), o filme narra a gravação de um disco por uma cantora negra de blues, no porão de uma casa em Chicago, em 1947. Ma Raine e sua banda são reunidos por dois empresários brancos para efetuar uma gravação do que certamente será seu disco de maior sucesso. As tensões raciais, artísticas e pessoais – que já estão em alto nível – tem tudo para explodir num ambiente fechado e com exigência altíssima.

Viola Davis e Chadwick Boseman estão monstruosos como Ma Raine e Levee. Ma Raine é outro personagem antológico na carreira de Viola Davis, uma atriz de 56 anos, nascida na Carolina do Sul. Desde que apareceu nas telas, em NYPD Blue e ANGELS IN AMERICA, Viola tem mostrado ser uma atriz de nível superior, uma verdadeira camaleoa (muda sua aparência de modo incrível), capaz de criar personagens de todos os tipos, época e personalidades, sempre com um toque pessoal impressionante. Sua Ma Raine se inscreve no topo da lista. Vai ser indicada para o Oscar de Melhor atriz com certeza e tem grande possibilidade de dar a Viola seu segundo Oscar (ganhou do de Melhor atriz Coadjuvante em FENCES).

A morte precoce de Chadwick Boseman nos roubou um excelente ator. O PANTERA NEGRA, aqui já visivelmente doente, faz um Levee único, anárquico, inconformado, sonhador, contestador, um personagem magnífico. Ele não aceita qualquer amarra. Quer atingir seus objetivos e voar em liberdade como músico maravilhoso e como pessoa ambiciosa. Também vai forte para o Oscar.

Aliás, o filme deve ter múltiplas indicações. Fotografia, trilha sonora, montagem, direção de arte, figurino, direção, tudo é de primeira linha.

Em 94 minutos (quem disse que um filme tem que passar de duas horas?), George C. Wolf (diretor do sensível NOITES DE TORMENTA, com Richard Gere e Diane Lane) nos evidencia toda a força do sofrimento que as pessoas sofrem com o preconceito, seja de que natureza for. O dito, os olhares e o não dito, são coisa fortíssimas, difíceis de enfrentar e que acham em Ma Raine uma Dama Suprema. Não apenas do Blues (que é incrível), mas da vida.

One of the many areas in which Afro culture makes essential contributions to humanity is, without a doubt, music. Listing first-class black composers, singers and musicians is an endless exercise.

NETFLIX is showing one of its main bets for the Oscars: MA RAINE’S BLACK BOTTOM, a film that filmmaker George C. Wolf made with Viola Davis and Chadwick Boseman (in his last performance, which gives the film and its character an even more tragic and nostalgic touch).

The film is great. Based on the play by August Wilson (magnificent text), the film chronicles the recording of a disc by a black blues female singer in the basement of a house in Chicago in 1947. Ma Raine and her band are brought together by two white businessmen to make a recording of what will surely be her most successful album. Racial, artistic and personal tensions – which are already at a high level – have everything to explode in a closed environment and with very high demands.

Viola Davis and Chadwick Boseman are monstrous like Ma Raine and Levee. Ma Raine is another anthological character in the career of Viola Davis, a 56-year-old actress born in South Carolina. Since appearing on screens in NYPD Blue and ANGELS IN AMERICA, Viola has shown herself to be a top-level actress, a true chameleon (changes her appearance in an incredible way), capable of creating characters of all types, times and personalities, always with an impressive personal touch. Her Ma Raine is at the top of the list. She will be nominated for the Oscar for Best Actress for sure and has a great chance of giving Viola her second Oscar (won for Best Supporting Actress in FENCES).

Chadwick Boseman‘s early death robbed us of an excellent actor. BLACK PANTHER, here already visibly ill, makes Levee a unique, anarchic, nonconformist, dreamer, challenger, a magnificent character. He doesn’t accept any ties. He wants to achieve his goals and fly free as a wonderful musician and as an ambitious person. He’s also going strong for the Oscar.

In fact, the film must have multiple indications. Photography, soundtrack, editing, art direction, costumes, direction, everything is first rate.

In 94 minutes (who said that a film has to last two hours?), George C. Wolf (director of the sensitive NIGHT IN RODHANTE, with Richard Gere and Diane Lane) shows us all the strength of the suffering that people experiment from prejudice, of whatever nature. The said, the looks and the unspoken, are very strong things, difficult to face and who find in Ma Raine a Supreme Lady. Not just from the Blues (which is amazing), but from life.


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.