BONEQUINHA DE LUXO: A Vida é Melhor do que Parece

A primeira vez que assisti BONEQUINHA DE LUXO foi em um cinema da praia de Capão da Canoa. Eu devia ter uns seis anos de idade. Claro que uma comédia romântica (ainda mais tão cheia de nuances e detalhes) não foi exatamente a minha praia. Mas lembro até hoje que o fato da linda mocinha guardar os sapatos na geladeira me impressionaram vivamente.

Holly Golightly, personagem imortal da atriz Audrey Hepburn é uma ex-acompanhante de luxo que sonha se casar com um homem rico e se transformar em atriz de cinema e por isso se muda para Nova Iorque. Ela é sustentada por Sally Tomato um mafioso preso em Sing Sing, onde ela vai todas as quintas-feiras. Tem um misterioso irmão chamado Fred, constantemente citado por ela. Quando ela se envolve com um vizinho escritor (Paul), os planos de vida futura dela estão ameaçados.

Baseado livremente em um livro de Truman Capote, BREAKFAST AT TIFFANY’S, dirigido por Blake Edwards é daqueles filmes em que tudo deu certo. Audrey estava no auge de sua beleza, charme e classe como atriz. O roteiro de George Axelrod é uma sucessão de cenas antológicas, cômicas, inteligentes e românticas, que se tornaram inspiração para dezenas de filmes depois.

Blake Edwards um cineasta nascido em Tulsa, Oaklahoma, tinha alguma experiência mas fez aqui o primeiro mega sucesso de sua carreira, onde viria a se tornar uma marca: PANTERA COR DE ROSA, UM CONVIDADO BEM TRAPALHÃO, A CORRIDA DO SÉCULO, MULHER NOTA DEZ e VITOR OU VITÓRIA, apenas para citar alguns trabalhos memoráveis. Ganhou um Oscar honorário, um César, um David di Donatello e três prêmios da Associação de Roteirista da América (ele era um exímio roteirista).

O filme ainda teve na belíssima trilha sonora, Audrey Hepburn cantando MOON RIVER, canção de Johnny Mercer e Henry Mancini, considerada uma das melhores canções americanas da história.

No elenco, além de Hepburn, George Pepard, Patricia Neal, Buddy Ebsen, Martin Balsam e Mickey Rooney (antológico como Mr. Yunioshi).

Se um dia você estiver justificadamente deprimido pelo noticiário, pare tudo e veja outra vez (espero) BREAKFAST AT TIFFANY’S. Sem dúvida, a vida irá parecer muito melhor. Audrey Hepburn era magia pura.

The first time I watched BREAKFAST AT TIFFANY’S was in a cinema on the beach of Capão da Canoa. I must have been about six years old. Of course, a romantic comedy (even more so full of nuances and details) was not exactly my thing. But I still remember today that the fact that the very beautiful girl kept her shoes in the fridge impressed me very much.

Holly Golightly, immortal character of actress Audrey Hepburn is a former luxury escort who dreams of marrying a rich man and becoming a movie actress and therefore moves to New York. She is supported by Sally Tomato a mobster arrested in Sing Sing, where she goes every Thursday. She has a mysterious brother named Fred, constantly quoted by her. When she becomes involved with a neighboring writer (Paul), her future life plans are threatened.

Based loosely on a book by Truman Capote, BREAKFAST AT TIFFANY’S, directed by Blake Edwards is one of those films where everything went well. Audrey was at the height of her beauty, charm and class as an actress. George Axelrod‘s screenplay is a succession of anthological, comical, intelligent and romantic scenes, which became inspiration for dozens of films afterwards.

Blake Edwards, a filmmaker born in Tulsa, Oklahoma, had some experience but here he made the first mega success of his career, where he would become a brand: PINK PANTHER, THE PARTY, THE GREAT RACE, TEN and VICTOR OR VICTORIA, just to name a few memorable works. He won an honorary Oscar, a Caesar, a David di Donatello and three awards from the Screenwriter Association of America (he was an accomplished screenwriter).

The film also featured the beautiful soundtrack, Audrey Hepburn singing MOON RIVER, a song by Johnny Mercer and Henry Mancini, considered one of the best American songs in history.

In the cast, in addition to Hepburn, George Pepard, Patricia Neal, Buddy Ebsen, Martin Balsam and Mickey Rooney (anthological as Mr. Yunioshi).

If one day you are justifiably depressed by the news, stop everything and watch again (hopefully) BREAKFAST AT TIFFANY’S. Without a doubt, life will look much better. Audrey Hepburn was pure magic.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.