UM LOCAL MUITO QUENTE: Filme Texas Noir de Dennis Hopper Tem Muita Coisa Para Ser Vista (e Revista)

Dennis Hopper iniciou sua carreira no cinema em alto estilo, dirigindo o lendário SEM DESTINO, um filme definitivo da década de 60. Apareceu como ator em 205 filmes, entre os quais VELUDO AZUL, BRAVURA INDÔMITA e APOCALIPSE NOW.

Com diretor – fez 9 filmes – tem o relevante AS CORES DA VIOLÊNCIA (COLORS) e este filme noir passado em uma pequena cidade do Texas, chamado THE HOT SPOT.

Don Johnson (nunca um bom ator, mas aqui bem razoável como Harry Maddox, um misto de ladrão e conquistador barato) que chega a um lugarejo e se emprega como vendedor de carros em uma loja cujo proprietário é um rico cidadão local, casado com uma esposa muito mais nova que ele. Maddox vai passar seu tempo entre pensar um assalto ao descuidado banco local, vender carros aos caipiras de plantão, ter um caso com a patroa e flertar com uma adolescente que trabalha na loja.

O filme de Dennis Hopper tem personagens, cenas e situações de cartilha do filme noir. Há pedofilia, extorsão, traições a granel, paixões, segredos do passado, homossexualismo, tudo o que não se poderia imaginar sob a superfície de uma cidade pacata do interior.

O filme investe forte na sensualidade do trio central, com Jennifer Connelly lindíssima, Virginia Madsen no auge de sua beleza e Johnson pronto a se despir em qualquer cena. O extremo calor do local igualmente é explorado pelo filme, quase como um personagem da trama.

Claro que THE HOT SPOT não é e nunca pretendeu ser um grande filme ou mesmo um cult movie. Mas que, como filme noir, é muito bem feito, isto não resta dúvida. Dennis Hopper sabia muito bem os caminhos do cinema.

Dennis Hopper began his career in cinema in high style, directing the legendary EASY RIDER, a definitive film from the 60s. He appeared as an actor in 205 films, among which BLUE VELVET, TRUE GRIT and APOCALIPSE NOW.

As director – he made 9 films – he has the relevant COLORS and this film noir set in a small town in Texas, called THE HOT SPOT.

Don Johnson (never a good actor, but here quite reasonable like Harry Maddox, a mix of thief and cheap conqueror) who arrives at a village and works as a car salesman in a store whose owner is a wealthy local citizen, married to a wife much younger than him. Maddox will spend his time between thinking about an assault on the careless local bank, selling cars to the hick on duty, having an affair with his bosse’s wife and flirting with a teenager who works at the store.

Dennis Hopper‘s film has characters, scenes and situations from the film noir’s playbook. There is pedophilia, extortion, betrayals, passions, secrets of the past, homosexuality, everything that you could not imagine under the surface of a peaceful country town.

The film invests heavily in the sensuality of the central trio, with Jennifer Connelly very beautiful, Virginia Madsen at the height of her beauty and Johnson ready to undress in any scene. The extreme heat of the place is also explored by the film, almost like a character in the plot.

Of course THE HOT SPOT is not and never intended to be a great movie or even a cult movie. But that, as a film noir, is very well done, this is beyond doubt. Dennis Hopper knew the ways of cinema very well.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.