MALCOLM AND MARIE: Cenas de um Casamento Fotografado em Preto e Branco Impecável

A NETFLIX lançou MALCOLM & MARIE, do cineasta, produtor e roteirista americano Sam Levinson, o filho do multipremiado Barry Levinson. Sam já vinha fazendo sucesso, ao lado da atriz Zendaya na incrível série EUPHORIA, exibida pela HBO.

O filme vem sendo definido como uma DR sem fim. Ou, como disse uma participante da rede social LETTERBOXD, “Se HISTÓRIA DE CASAMENTO fosse um comercial da Calvin Klein.”

Um jovem cineasta afro americano chega na maravilhosa casa em que mora com a namorada (uma modelo com aspirações a ser atriz, que tem envolvimento passado pesado com drogas), depois do estrondoso sucesso da pré-estréia de seu novo filme. O que era para ser uma noite de felicidade (“a melhor noite de minha vida”) se transforma em um discussão interminável sobre mágoas recíprocas entre os dois.

O filme é muito rico. A verborragia traz muitas frases memoráveis.

Mas o primeiro destaque que por justiça se tem que fazer é para a extraordinária fotografia em preto e branco do húngaro Marcel Rév. Raras vezes se viu no cinema cenas tão lindas sem qualquer cor. Os claro/escuros, as sombras, os planos que têm alguma informação ao fundo, fora da casa (vista pelos janelões como se fossem telas de TV), tudo foi brilhantemente concebido e realizado. É impossível não ficar hipnotizada por tanta beleza.

A trilha sonora (igualmente impecável), pelo músico britânico LABIRINTH consegue ser nervosa ou tocante a cada cena. São ainda ouvidos uma série de músicos e canções, de James Brown a outros mais modernos, num caleidoscópio musical que sublinha com perfeição a discussão em curso.

Na minha opinião, outro destaque obrigatório é o festival de citações de filmes (clássicos ou não) feita pelo personagem de Malcolm ao criticar a crítica cinematográfica personificada na “branquela do L.A.Times”. Numa verdadeira epifania de cinéfilo, ele cita mais de uma dúzia de filmes (e seus destaques ao menos na opinião do personagem) em dois minutos de explosão verbal contra a jornalista. Para quem curte cinema (e viu os filmes citados) é uma festa.

Os jovens atores Zendaya (uma atriz californiana que vem fazendo enorme sucesso em EUPHORIA e na franquia SPIDERMAN) e John David Washington (de TENNET) se doam por completo. Ficar em cena recitando (ou gritando) os textos do roteiro inspirado (mas ultra exigente) de Levinson é um verdadeiro tour de force. Eles estão muito bem, inclusive ou principalmente nos silêncios de cada um.

MALCOLM & MARIE tem 1h46min. Não é fácil de ser visto. Mas quem for conquistado pelo filme criativo e inovador de Levinson vai chegar ao final muito recompensado. Trata-se de um filme brilhante, pulsante e contundente sobre relacionamentos e mágoas. É muito mais que apenas a estética brilhante de suas cenas.

NETFLIX released MALCOLM & MARIE, by American filmmaker, producer and screenwriter Sam Levinson, the son of multi-award winner Barry Levinson. Sam had already been successful, alongside actress Zendaya in the incredible series EUPHORIA, aired by HBO.

The film has been defined as an endless DR. Or, as a participant in the social network LETTERBOXD said, “If MARRIAGE STORY was a Calvin Klein commercial.”

A young African American filmmaker arrives at the wonderful home where he lives with his girlfriend (a model with aspirations to be an actress, who has been heavily involved with drugs in the past), after the resounding success of the preview of his new film. What was supposed to be a night of happiness (“the best night of my life”) turns into an endless discussion about mutual hurts between the two.

The film is very rich. Verbs have many memorable phrases.

But the first highlight that for the sake of justice is the extraordinary black and white photograph of the Hungarian Marcel Rév. Rarely have you seen such beautiful scenes in the cinema without any color. The light / dark ones, the shadows, the plans that have some information in the background, outside the house (seen through the windows as if they were TV screens), everything was brilliantly designed and realized. It is impossible not to be mesmerized by so much beauty.

The soundtrack (equally impeccable), by the British musician LABIRINTH manages to be nervous or touching in each scene. A series of musicians and songs, from James Brown to more modern ones, are also heard in a musical kaleidoscope that perfectly highlights the ongoing discussion.

In my opinion, another mandatory highlight is the film quote festival (classic or not) made by the character of Malcolm when criticizing the cinematographic critic personified in the “white girl from L.A.Times”. In a true cinematic epiphany, he cites more than a dozen films (and their highlights, at least in the character’s opinion) in a two-minute verbal explosion against the journalist. For those who enjoy cinema (and have seen the films mentioned) it is a party.

Young actors Zendaya (a Californian actress who has been hugely successful in EUPHORIA and the SPIDERMAN franchise) and John David Washington (from TENNET) donate themselves completely. Standing on stage reciting (or shouting) the texts of Levinson’s inspired (but ultra demanding) script is a true tour de force. They are very well, including or mainly in the silences of each one.

MALCOLM & MARIE has 1h46min. It is not easy to be seen. But whoever is conquered by Levinson’s creative and innovative film will reach the end very rewarded. It is a brilliant, pulsating and forceful film about relationships and hurts. It is much more than just the brilliant aesthetic of its scenes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.