EU E VOCÊ: A Última Obra de um Mestre

Quando a gente é apaixonado pelo cinema de um mestre, seu último filme antes de morrer é sempre um marco. Nem sempre à altura de sua obra. FAMILY PLOT para Hitchcock, O INOCENTE, para Luchino Visconti ou A VOZ DA LUA, para Federico Fellini são exemplos disto.

Esta semana me deparei (quem disse que o Facebook só tem coisa ruim) com um posto do Clube de Cinema noticiando que de 11/2 a 15/2, o filme EU E VOCÊ (IO E TE), de Bernardo Bertolucci estaria disponível na plataforma de streaming da MEDEIA FILMES. Agendei imediatamente. Ainda sobrevém uma recomendação do meu amigo Eron Fagundes dizendo que já viu o filme e achou ótimo.

Bertolucci fez O ÚLTIMO TANGO EM PARIS, O ÚLTIMO IMPERADOR, NOVECENTO, O CONFORMISTA, LA LUNA e por aí vai. Temos uma dívida eterna com o cineasta nascido em Parma, em 16 de março de 1941 e morto em Roma, em 2018.

EU E VOCÊ parte de uma situação originalíssima. Um jovem adolescente tímido agenda uma viagem a uma estação de esqui com seus amigos para um final de semana prolongado. Tudo combinado com a mãe super protetora, ele resolve não ir e se isola no porão (cave é muito mais charmoso) do prédio onde mora, com seu formigueiro, livros, laptop e junk food.

Sua solidão é quebrada pela chegada da meio irmã, uma jovem drogada e de vida libertária e contestadora, em busca de um lugar para dormir algumas noites. Embora irmãos, os dois são praticamente estranhos (“Você cresceu muito. Você também”). O relacionamento entre os dois vai ser difícil, tenso e, ao mesmo tempo afetuoso e delicado.

Bertolucci, pelas fotos da produção, estava doente e em uma cadeira de rodas quando fez IO E TE. Mas sua lucidez estava intacta. O filme tem diálogos (Nicollò Ammaniti escreveu o livro em que se baseia o filme) impressionantes. (Olivia: Pare de se esconder. Merda, você está crescendo agora. Arranje uma vida. Se você levar um golpe de vez em quando, não há problema. Olhe para mim, estou coberta de hematomas. Lorenzo: Mas você tem nove vidas como um gato. Olivia: Você promete? Lorenzo: Sim. Olivia: Está tarde. vamos dormir um pouco.)

Jacopo Olmo Antinori, jovem ator toscano é Lorenzo. A atriz italiana Tea Falco é Olivia. As diferenças entre ambos são um prato cheio para a câmera sempre inspirada de Bertolucci. Ela vive sem parar, sem medo e se expõe a tudo. A vida teima em quebrá-la. Ele tem medo de viver, é cauteloso até a alma. Como se encontrarão?

Realmente IO E TE me impressionou. É um último filme mais do que digno para um mestre do cinema.

When you are passionate about a master’s cinema, your last film before you die is always a milestone. Not always up to his work. FAMILY PLOT for Hitchcock, THE INNOCENT, for Luchino Visconti or THE VOICE OF THE MOON, for Federico Fellini are examples of this.

This week I came across (who said that Facebook only has something bad) with a post from the Cinema Club reporting that from February 11 to February 15, the film ME AND YOU (IO E TE), by Bernardo Bertolucci would be available on the MEDEIA FILMES streaming platform. I scheduled immediately. There is still a recommendation from my friend Eron Fagundes saying that he has seen the film and thought it was great.

Bertolucci made THE LAST TANGO IN PARIS, THE LAST EMPEROR, NOVECENTO, THE CONFORMIST, LA LUNA and so on. We owe an eternal debt to the filmmaker who was born in Parma on March 16, 1941 and died in Rome in 2018.

ME AND YOU start from a very original situation. A shy young teenager schedules a trip to a ski resort with his friends for a long weekend. All combined with his super protective mother, he decides not to go and isolates himself in the basement (basement is much more charming) of the building where he lives, with his anthill, books, laptop and junk food.

Her loneliness is broken by the arrival of her half sister, a young drug addict with a libertarian and defiant life, in search of a place to sleep some nights. Although brothers, the two are practically strangers (“You grew up a lot. You too”). The relationship between the two will be difficult, tense and, at the same time, affectionate and delicate.

Bertolucci, from the photos of the production, was sick and in a wheelchair when he did IO E TE. But his lucidity was intact. The film has impressive dialogues (Nicollò Ammaniti wrote the book on which the film is based). (Olivia: Stop hiding. Shit, you’re growing up now. Get a life. If you take a blow once in while, it’s no bid deal. Look at me, I’m covered in bruises. Lorenzo: But you have nine lives like a cat. Olivia: Do you promise? Lorenzo: Yes. Olivia: It’s late. let’s get some sleep.)

Jacopo Olmo Antinori, young Tuscan actor is Lorenzo. The Italian actress Tea Falco is Olivia. The differences between the two are a glory for Bertolucci’s always inspired camera. She lives without stopping, without fear and exposes herself to everything. Life insists on breaking her. He is afraid to live, he is cautious to the soul. How will they meet?

Really ME AND YOU impressed you. It is a last film more than worthy for a cinema master.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.