RESISTÊNCIA ALBANESA: Memórias de um Cinéfilo em Isolamento

O CONVIDADO DE HOJE DO CINEMARCO É ISAAC MENDA.

Hoje vou comentar um filme produzido em 1959 do diretor John Ford.

Trata-se de Resistência Albanesa, com título em inglês The Dirty War (A guerra suja). Essa produção americana e inglesa tem no elenco três figuras de renome da época: Sophia Loren, Anthony Quinn e Curd Jurgens.

O roteiro é bem interessante. Durante a Segunda Guerra o exército nazista invade uma pequena cidade no interior da Albânia e instala seu quartel num castelo medieval no topo de um morro, onde lá teria uma visão de navios inimigos que navegavam na região. Curd Jurgens é o coronel chefe dos nazistas, numa interpretação magnífica, mesclando momentos de violência e outros de afeição.

Sophia Loren é a esposa do prefeito, o qual se encontra em coma, sendo ela a dirigente da pequena cidade. Anthonny Quinn, um fazendeiro, é o líder da resistência albanesa, praticando sabotagens contra o exército nazista. Ele também é apaixonado por Sophia Loren e, a todo o momento, faz investida amorosa, sendo repelida por ela, pois, conforme ela diz no filme, “sou fiel ao meu marido até a sua morte”.

Para complicar a situação, Curd Jurgens também se apaixona por sua beleza e tenta se aproximar para satisfazer seus desejos. Anthony Quinn, com ciúmes, aumenta sua rede de resistência e sabotagens contra os nazistas.

O coronel alemão querendo dar um basta nessa situação faz chantagem com Sophia. Ele pretende deserdar e quer leva-la junto para um local distante. Se ela atender ao seu pedido, ele encerra os ataques contra a população da cidade.

Ela rejeita todas as investidas até que é levada ao castelo onde Anthony Quinn está preso e sendo torturado. Por fim ela cede aos desejos do coronel e se prepara para sair da cidade desde que se encerrem as atrocidades contra a população e Quinn não seja assassinado.

Não vou contar o fim do filme.  As locações do filme são belíssimas, acompanhadas pela trilha sonora de Dimitri Tiomkim.

Durante as filmagens ocorreram vários incidentes: 1. Curd Jurgens se acidenta caindo de um tanque e fratura o braço; 2. A população da cidade, onde foram realizadas as filmagens, queriam participar de diversas cenas e realizaram manifestações; 3. Boatos de que Quinn e Loren tiveram um caso amoroso, sendo desmentido por ambos; 4. O filme era para ser realizado durante seis meses e durou um ano, estourando o orçamento da produção.

Já comentei sobre esse filme para diversas pessoas e ninguém se lembra dele. Se alguém me informar que assistiu, é um grande mentiroso, pois nunca existiu. É pura invenção. Não é primeiro de abril, mas em tempos de isolamento um devaneio pode ser perdoado.

TODAY’S GUEST TO CINEMARK ISAAC MENDA.

Today I will comment on a film produced in 1959 by director John Ford.

This is the Albanian Resistance, with English title The Dirty War. This American and English production has in the cast three renowned figures of the time: Sophia Loren, Anthony Quinn and Curd Jurgens.

The script is very interesting. During World War II the Nazi army invaded a small town in the interior of Albania and installed its barracks in a medieval castle on the top of a hill, where there would have a view of enemy ships sailing in the region. Curd Jurgens is the chief colonel of the Nazis, in a magnificent interpretation, mixing moments of violence and others of affection.

Sophia Loren is the mayor’s wife, who is in a coma, being the leader of the small town. Anthonny Quinn, a farmer, is the leader of the Albanian resistance, practicing sabotage against the Nazi army. He is also in love with Sophia Loren and, at all times, makes a love affair, being repelled by her, because, as she says in the film, “I am faithful to my husband until her death”.

To complicate the situation, Curd Jurgens also falls in love with his beauty and tries to get closer to satisfy his wishes. Anthony Quinn, jealous, increases his network of resistance and sabotages against the Nazis.

The German colonel, wanting to end this situation, blackmails Sophia. He intends to disinherit and wants to take her away with him. If she complies with her request, he ends the attacks on the city’s population.

She rejects all advances until she is taken to the castle where Anthony Quinn is being held and tortured. Finally, she gives in to the colonel’s wishes and prepares to leave the city as soon as the atrocities against the population are over and Quinn is not murdered.

I will not tell the end of the film. The locations of the film are beautiful, accompanied by the soundtrack by Dimitri Tiomkim.

During the filming, several incidents occurred: 1. Curd Jurgens crashes from a tank and breaks his arm; 2. The population of the city, where the filming took place, wanted to participate in several scenes and held demonstrations; 3. Rumors that Quinn and Loren had an affair, being disproved by both; 4. The film was to be made for six months and lasted for a year, blowing up the production budget.

I have already commented on this film to several people and no one remembers it. If someone informs me that he watched, he is a great liar, because the movie never existed. It is pure invention. It’s not a Fool’s Day trick, but in times of isolation a false picture can be forgiven.

One Reply to “RESISTÊNCIA ALBANESA: Memórias de um Cinéfilo em Isolamento”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.