O GOLPE DE JOHN ANDERSON: Sean Connery Faz um Roubo Incrível em Nova Iorque

Em 1971, o extraordinário cineasta Sidney Lumet filmou o livro de Lawrence Sanders O GOLPE DE JOHN ANDERSON (THE ANDERSON TAPES), contando o roubo (heist) que um ex-condenado planeja e executa em um mega prédio de luxo em Nova Iorque.

O gancho era a tecnologia que já tomava contra da segurança de prédios e apartamentos no início da década de 70, com câmeras por todos os lados, equipamentos de vigilância sofisticados, gravações clandestinas das forças da lei (polícia e FBI) e portas e cofres com segredos eletrônicos.

Sean Connery (então já famoso mundialmente como James Bond) e uma linda Dyan Cannon são os protagonistas de uma história que mistura crime, máfia, amor, privacidade e eletrônica.

Visto hoje, 50 anos depois de feito, THE ANDERSON TAPES é quase ingênuo. As ousadas cenas eróticas da época (como Dyan Cannon de lingerie) ou mesmo um personagem abertamente gay, hoje soam divertidamente ingênuos.

Martin Balsam (sempre um ótimo coadjuvante), um iniciante Christopher Walken, Ralph Meeker e Paul Benjamin fazem o elenco.

Lumet viria a ser firmar como um dos principais diretores de Hollywood nos anos seguintes. SERPICO, UM DIA DE CÃO e O VEREDITO são apenas três filmaços (entre muitos) que ele fez. Quando filmou ANDERSON TAPES, Lumet já tinha feito o clássico 12 ANGRY MEN (DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA), outro trabalho maravilhoso. Era um craque.

Recomendo ver THE ANDERSON TAPES (tem no NOW, Amazon e Apple TV+). Dá uma certa nostalgia gostosa na gente.

In 1971, the extraordinary filmmaker Sidney Lumet filmed Lawrence Sanders‘ book THE ANDERSON TAPES, recounting the theft (heist) that a former convict plans and executes in a mega luxury building in New York.

The hook was the technology that already took against the security of buildings and apartments in the early 1970s, with cameras everywhere, sophisticated surveillance equipment, clandestine recordings of law enforcement (police and FBI) ​​and doors and safes with electronic secrets.

Sean Connery (then already world famous as James Bond) and a beautiful Dyan Cannon are the protagonists of a story that mixes crime, mafia, love, privacy and electronics.

Seen today, 50 years after it was made, THE ANDERSON TAPES is almost naive. The daring erotic scenes of the time (like Dyan Cannon in lingerie) or even an openly gay character, today sound playfully naive.

Martin Balsam (always a great supporting character), a newcomer Christopher Walken, Ralph Meeker and Paul Benjamin make the cast.

Lumet would go on to establish himself as one of the main directors of Hollywood in the following years. SERPICO, DOG DAY AFTERNOON and THE VERDICT are just three films (among many) that he made. When he filmed THE ANDERSON TAPES, Lumet had already done the classic 12 ANGRY MEN, another wonderful job. He was an ace.

I recommend seeing THE ANDERSON TAPES (NOW, Amazon and Apple TV +). It gives a certain delicious nostalgia to us.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.