100 RIFLES: A Luta Contra a Tirania

A atriz americana Raquel Welch fez três westerns em sua carreira: HANNIE CAULDER, BANDOLERO! e 100 RIFLES. Nos três desfilou sua beleza incrível no papel de mulheres destemidas e aventureiras, abrindo o caminho para seus ideais à bala, em um ambiente masculino hostil.

100 RIFLES é o mais bem produzido dos três. O diretor Tom Gries teve à disposição ótimos recursos de produção para contar a história de índios yaqui mexicanos tiranizados pelo exército do México comandado pelo cruel General Verdugo (Fernando Lamas no auge de sua canastrice charmosa) que se jactava de matar os índios (e outros inimigos) bem devagar.

Um trio de heróis vai enfrentar Verdugo. Eles são Sarita (Raquel Welch belíssima), uma mestiça Yaqui disposta a tudo para libertar seu povo, o Xerife Lyedecker (Jim Brown, mais um famosos jogador de futebol americano que arriscou carreira no cinema) e o índio mestiço Joe (Burt Reynolds, jovem e esquemático como anti herói).

Em 1969, quando o filme foi feito, valores como inclusão e diversidade pouco existiam na agenda das pessoas. Fica interessante ver um filme americano colocando os mexicanos como soldados cruéis praticando um genocídio contra os índios Yaqui.

De qualquer sorte, um western que mostra a luta de Verdugo e seus soldados contra os índios (e pobres camponeses locais) sempre traz uma torcida pelos fracos e oprimidos.

100 RIFLES tem uma cena antológica. Para parar o trem do exército mexicano, Sarita toma um banho de chuveiro improvisado embaixo de uma torre d’água vestida apenas com uma camisa. As fotos de Raquel Welch molhada geraram milhões de “posters”, que ocupavam os quartos de adolescentes pelo mundo inteiro. Poster era uma fotografia grande, impressa em um papel especial que decorava as paredes dos quartos de meninos e meninas adolescentes. Outra coisa que acabou.

100 RIFLES é um western de uma época que se foi.

American actress Raquel Welch has made three westerns in her career: HANNIE CAULDER, BANDOLERO! and 100 RIFLES. In the three, she showed her incredible beauty in the role of fearless and adventurous women, paving the way for her ideals by fire, in a hostile masculine environment.

100 RIFLES is the best produced of the three. Director Tom Gries had great production resources available to tell the story of Mexican Yaqui Indians tyrannized by the Mexican army led by the cruel General Verdugo (Fernando Lamas at the height of his charming badness) who was proud of killing the Indians (and other enemies ) slowly.

A trio of heroes will face Verdugo. They are Sarita (beautiful Raquel Welch), a Yaqui mestizo willing to do anything to free her people, Sheriff Lyedecker (Jim Brown, another famous American football player who risked a film career) and the mixed-race Indian Joe (Burt Reynolds, very young and schematic as anti hero).

In 1969, when the film was made, values ​​such as inclusion and diversity hardly existed on people’s agenda. It is interesting to see an American film featuring Mexicans as cruel soldiers practicing genocide against the Yaqui Indians.

Anyway, a western that shows the struggle of Verdugo and his soldiers against the Indians (and poor local peasants) always brings a cheer for the weak and oppressed.

100 RIFLES has an anthological scene. To stop the Mexican army train, Sarita takes an impromptu shower under a water tower dressed only in a shirt. Raquel Welch’s wet photos generated millions of “posters”, which occupied the rooms of teenagers all over the world. Poster was a large photograph, printed on special paper that decorated the walls of the rooms of teenage boys and girls. Another thing that is over.

100 RIFLES is a western from a time that is gone.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.