THE COURIER: A Guerra Fria Atropela Pessoas e Valores

O período da Guerra Fria gerou grandes livros e filmes. O ESPIÃO QUE SAIU DO FRIO, O ESPIÃO QUE SABIA DEMAIS, TOPÁZIO, OS CRIMINOSOS NÃO MERECEM PRÊMIO, A PONTE DOS ESPIÕES e por aí vai. Muitas escutas, agentes duplos, perseguições da KGB, reviravoltas, torturas, trocas de prisioneiros marcaram estas tramas.

O CORREIO, drama dirigido pelo cineasta e escritor inglês Dominick Cooke tem tudo isto. Narra a história real do caixeiro viajante inglês Greville Wyne que viajava a trabalho pelo mundo e é procurador pelo MI-6 (serviço secreto inglês) para iniciar uma busca de informações secretas oferecidas por um alto funcionário do Governo Soviético, Oleg Penkowsky sobre uma ameaça de guerra nuclear.

Era o início da década de 60 e estava sendo gerada a crise internacional que ficou conhecida como “os mísseis de Cuba”, quando o Premier Kruschchev decidiu instalar mísseis nucleares na Ilha de Cuba, ao lado dos Estados Unidos.

Wyne passa a fazer viagens regulares a URSS, onde se encontra com Penkowsky em aparentes reuniões comuns de negócios. A cada viagem traz de volta informações sobre os planos nucleares soviéticos.

Quando a crise se agudiza, a ação do Presidente Kennedy denuncia que o Ocidente tinha informações secretas, o que coloca os holofotes na dupla de espiões.

Como quase todos os filmes do gênero, há muito mais diálogos que ação. As explicações sobre o contexto político, o papel de cada personagem e o desenvolvimento da crise tomam a maior parte dos 112 minutos do filme.

O diretor Cooke se sai muito bem. Ele resolve investir na qualidade do duo central de atores. Benedict Cumberbatch, já se sabe, é um ator excepcional e capaz de nuances interpretativas raras. Seu Wyne é primoroso em todas as situações. Vai ser referência daqui para a frente no gênero. O ator russo Merab Ninidze é uma agradável surpresa como o traidor Penkowsky. Ele dá a perfeita noção do drama em que o personagem se envolveu, todas as suas dúvidas, angústias e dilemas, e a entrega à missão, sem importarem as consequências. A emocionante relação de confiança dos dois é simbolizada pela magnífica cena em que assistem juntos uma apresentação de ballet com o Lago dos Cisnes, de Tchaikowsky em Moscou, um momento sublime da arte.

A parte final do filme, que expõe a prisão de ambos e os fatos que se seguiram assume um tom quase documental, embora seu realismo possa parecer quase cruel. Igualmente proporciona grandes cenas e momentos muito emocionantes.

THE COURIER é um ótimo filme. Ajuda a gente a refletir sobre armadilhas que a radicalização política apresentou à humanidade. E como Países, governos e pessoas seguem colocando ideologias acima dos mais importantes valores da vida humana. Triste mas real.

The Cold War period spawned great books and movies. THE SPY THAT CAME FROM THE COLD, THINKER TAYLOR SOLDIER SPY, TOPAZ, THE PRIZE, THE BRIDGE OF SPIES and so on. Many wiretaps, double agents, KGB chases, twists and turns, tortures, prisoner exchanges marked these plots.

THE COURIER, drama directed by English filmmaker and writer Dominick Cooke has it all. It tells the true story of English traveling salesman Greville Wyne who traveled the world on business and is contacted by MI-6 (English secret service) to initiate a search for secret information offered by a high-ranking Soviet government official, Oleg Penkowsky about a threat of nuclear war.

It was the beginning of the 1960s and the international crisis known as “the Cuban missiles” was being generated, when Premier Khrushchev decided to install nuclear missiles on the island of Cuba, alongside the United States.

Wyne makes regular trips to the USSR, where he meets Penkowsky in apparent ordinary business meetings. With each trip he brings back information about Soviet nuclear plans.

When the crisis escalates, President Kennedy‘s action denounces the West as having secret information, which puts the spotlight on the pair of spies.

Like almost every movie in the genre, there’s a lot more dialogue than action. Explanations about the political context, the role of each character and the development of the crisis take up most of the 112 minutes of the film.

Director Cooke does very well. He decides to invest in the quality of the central duo of actors. Benedict Cumberbatch is known to be an exceptional actor and capable of rare interpretive nuances. His Wyne is exquisite in every situation. It will be a reference in the genre from now on. Russian actor Merab Ninidze is a pleasant surprise as the traitor Penkowsky. He gives the perfect sense of the drama in which the character was involved, all his doubts, anxieties and dilemmas, and the delivery to the mission, no matter the consequences. Their touching trusting relationship is symbolized by the magnificent scene in which they watch together a ballet performance with Swan Lake, by Tchaikowsky in Moscow, a sublime moment in art.

The final part of the film, which exposes their imprisonment and the events that followed, takes on an almost documentary tone, although its realism may seem almost cruel. It also provides great scenes and very exciting moments.

THE COURIER is a great movie. It helps people to reflect on the pitfalls that political radicalization has presented to humanity. And how countries, governments and people continue to place ideologies above the most important values ​​of human life. Sad but real.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.