BATALHA BILIONÁRIA: O CASO GOOGLE EARTH – Mini Série Alemã da NETFLIX Mostra Caso Judicial Muito Rico

A NETFLIX está exibindo a mini série (4 capítulos) BATALHA BILIONÁRIA: O CASO GOOGLE EARTH (THE BILLION DOLLAR C@DE), uma trama narrando o processo que dois alemães moveram contra o Google alegando que seu mundialmente famoso Google Earth foi copiado de um software que eles criaram duas décadas antes, o TERRAVISION.

A série se sai muito bem, principalmente ao mostrar a batalha eterna entre criatividade e conservadorismo. A tecnologia evoluiu (e evolui) todos os dias, mas rapidamente, pelas pessoas que não aceitam a ideia do impossível. Vão atrás de como fazer.

Foi assim que dois jovens alemães, um artista digital e um hacker se reunem no período pós queda do Muro de Berlim para criar um programa impensável: colocar todos os mapas do mundo ao alcance de todos em seu PC em tempo real. Criam um algoritmo e com uma equipe de jovens nerds de computador dão forma ao TERRAVISION.

A ida ao Vale do Silício e o contato com Brian Anderson, um dos criadores do Google Earth se revela desastrosa. As bases do TERRAVISION são copiadas pelo Google que lança um de seus produtos mais populares e universais : o Goolge Earth.

A série conta esta história do ponto de vista dos alemães. A ideia, sua viabilização técnica, a busca por financiadores, a dificuldade de se fazer entender, o poder hipnótico de um sonho, as diferenças culturais, há muitos temas relevantes na trama.

Narrado em época diversas (mescla o presente com o julgamento em Delaware com todo o processo de criação do TERRAVISION na Alemanha) é criativo e interessante.

Claro que no julgamento a tensão é maior. Conseguirão ver reconhecida a criminosa quebra de patente pelo Google e ganhar milhões de dólares?

O elenco é ótimo: Seumas F. Sargent, Leonard Scheicher, Lucas Loughran, Marius Ahrendt, Dan Cade, Thomas Douglas, Michele Glick e Lavinia Wilson.

A série tem muitos méritos. A narrativa pode ser fria como a maioria dos filmes alemães. Mas o poder da história supera tudo e mantém o interesse do espectador em alta.

A gente fica imaginando quantos jovens pelo mundo inventaram coisas maravilhosas que lhes foram “tomadas” por grande corporações. É uma ideia assustadora.

NETFLIX is airing the mini series (4 chapters) THE BILLION DOLLAR C@DE case, a plot chronicling the lawsuit that two Germans filed against Google claiming that the world famous Google Earth was copied from software they created two decades earlier, TERRAVISION.

The series does very well, especially in showing the eternal battle between creativity and conservatism. Technology has evolved (and evolves) every day, but quickly, by people who don’t accept the idea of ​​the impossible. Go after how to do it.

That’s how two young Germans, a digital artist and a hacker got together in the period after the fall of the Berlin Wall to create an unthinkable program: putting all the maps of the world within the reach of everyone on their PC in real time. They create an algorithm and with a team of young computer geeks they shape TERRAVISION.

The trip to Silicon Valley and the contact with Brian Anderson, one of the creators of Google Earth proves to be disastrous. The foundations of TERRAVISION are copied by Google which launches one of its most popular and universal products: Google Earth.

The series tells this story from the Germans’ point of view. The idea, its technical feasibility, the search for funders, the difficulty of making oneself understood, the hypnotic power of a dream, cultural differences, there are many relevant themes in the plot.

Narrated at different times (it mixes the present with the trial in Delaware with the whole process of creating TERRAVISION in Germany) it is creative and interesting.

Of course the tension is higher in the trial. Will they be able to see Google’s criminal patent infringement recognized and earn millions of dollars?

The cast is great: Seumas F. Sargent, Leonard Scheicher, Lucas Loughran, Marius Ahrendt, Dan Cade, Thomas Douglas, Michele Glick and Lavinia Wilson.

The series has many merits. The narrative can be cold like most German movies. But the power of the story trumps everything and keeps viewer interest high.

One wonders how many young people around the world have invented wonderful things that were “taken” from them by large corporations. It’s a scary idea.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.