Os Melhores Filmes de 2021, by Júlio Ricardo da Rosa

O CONVIDADO DE HOJE DO CINEMARCO É O CINÉFILO E ESCRITOR JÚLIO RICARDO DA ROSA.

Os melhores de 2021.

     1 — Pinochio, de Mateo Garrone. Um dos grandes do cinema italiano da atualidade faz uma leitura sombria e realista da história do boneco que ganha vida.

 

     2 — Relatos do Mundo, de Paul Greengrass. O Western americano filmado de maneira clássica e realista. Uma história de aprendizado e vida. Pena não ter chegado as telas dos cinemas.

 

     3 — Druk, de Thomas Wittemberg. O vazio existencial e a falta de perspectivas em uma sociedade que parece ter se esgotado. 

 

   4— Aranha, de Andrés Wood. Um mergulho nas razões que levaram muitas ditaduras ao poder no século passado na America Latina, seus reeflexos nos dias de hoje e a utilização do fnatismo religioso como arma de manipulação. O melhor filme do ano.

 

   5 — Amor, Sublime Amor, de Steven Spielberg. Uma refilmagem realista e questionadora do clássico musical. Fascínio e reflexão juntos.

 

   6 — A Mão de Deus, de Paolo Sorrentino. O grande nome do cinema italiano atual revisita seu passado evocando Fellini em mais um filme arrebatador.

 

   7— Meu Pai, de Florian Zeller. Os tormentos da perda de conexão com a realidade na figura de um ancião que vê seu mundo desaparecer rapidamente. 

 

   8 — Os Muitos Santos de Newark, de Alan Taylor. Um drama sobre pequenos mafiosos e uma reflexão sobre um dos períodos mais turbulentos da história americana no século passado.

 

   9 — Os Arrependidos, de Armando Antenor e Ricardo Calil. Precioso documentário sobre os guerrilheiros forçados a depor ante as câmeras de TV enaltecendo a ditadura militar no Brasil. 

 

10 — Azor, de Andreas Fontana. Os jogos financeiros e como as forças da repressão se aproveitaram deles durante o regime militar na Argentina.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.