A MÃO DE DEUS: Sorrentino Homenageia Nápoles, Maradona, Cinema e Vida

Cada vez mais o cineasta italiano Paolo Sorrentino se firma como o principal nome do atual cinema italiano. A MÃO DE DEUS, em cartaz na NETFLIX, é mais um belo trabalho de Sorrentino atrás das câmeras (ele funciona como roteirista e diretor).

Um jovem napolitano vive com sua família a expectativa da cidade pela possibilidade do clube de futebol da cidade (o mítico Nápole) contratar o craque Diego Armando Maradona, na década de 80.

Entre tantas coisas que o cinema de Sorrentino me agrada em cheio é sua capacidade de criar imagens cinematográficas belíssimas, na melhor tradição do clássico cinema italiano, principalmente nos filmes de Federico Fellini, a quem Sorrentino idolatra de forma explícita, seja em imagens, seja nos diálogos do filme.

Volta e meia o espectador fica sem fôlego diante do que vê na tela. O filme apresenta imagens incrivelmente belas da região napolitana, usando os mais modernos recursos de fotografia cinematográfica.

O elenco de A MÃO DE DEUS tem o ator icônico de Sorrentino, Toni Servillo (um ator que vai do cômico ao dramático com igual talento). Mas traz ainda Filippo Scotti (ótimo como o protagonista Fabietto Schisa), Teresa Saponangelo, Marlon Jobert, Luisa Ranoeri, Renato Carpentieri, Massimiliano Gallo e Betty Pedrazzi.

Na minha opinião A GRANDE BELEZA segue sendo o melhor filme de Paolo Sorrentino. Ali, acho que ele atingiu o pico de seu talento, fazendo uma película extraordinária.

Vale muito a pena ver A MÃO DE DEUS. É um belo exercício de cinema da melhor qualidade, tematicamente profundo na abordagem de temas relevantes como o amadurecimento do protagonista e visualmente encantador. O espectador termina o filme com um bem estar graças ao talento de Sorrentino e sua equipe.

Increasingly, Italian filmmaker Paolo Sorrentino is establishing himself as the main name of current Italian cinema. THE HAND OF GOD (È stata la mano di Dio), showing on NETFLIX, is another beautiful work by Sorrentino behind the camera (he works as screenwriter and director).

A young Neapolitan lives with his family the city’s expectation for the possibility of the city’s football club (the mythical Nápole) hiring football star Diego Armando Maradona, in the 80s.

Among the many things that Sorrentino’s cinema pleases me is its ability to create beautiful cinematographic images, in the best tradition of classic Italian cinema, especially in the films of Federico Fellini, whom Sorrentino explicitly idolizes, whether in , or in the movie’s dialogues.

Occasionally, the viewer is breathless at what he sees on the screen. The film presents stunningly beautiful images of the Neapolitan region, using the most modern cinematographic photography resources.

The cast of THE HAND OF GOD features iconic Sorrentino actor Toni Servillo (an actor who ranges from comic to dramatic with equal talent). But it also brings Filippo Scotti (great as the protagonist Fabietto Schisa), Teresa Saponangelo, Marlon Jobert, Luisa RanIeri, Renato Carpentieri, Massimiliano Gallo and Betty Pedrazzi.

In my opinion THE GREAT BEAUTY remains Paolo Sorrentino’s best film. There, I think he reached the peak of his talent, making an extraordinary film.

It’s worth a lot seeing THE HAND OF GOD. It is a beautiful exercise in cinema of the best quality, thematically deep in the approach to relevant themes such as the maturation of the protagonist and visually charming. The viewer ends the film with a feeling of well-being thanks to the talent of Sorrentino and his team.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.