THE SINNER – Temporada 4: Os Fantasmas de Harry Ambrose Seguem Interessantes

Ainda me lembro, quando em 2017, em um sábado me sentei à frente da TV e coloquei na NETFLIX para ver uma nova série chamada THE SINNER. Jessica Biel e Bill Pullman estrelavam a história dark de uma mulher que esfaqueava as pessoas num dia lúdico de praia e atraia o soturno Detetive Harry Ambrose para investigar os traumas do passado dela. Era uma série pesada, mas muito bem feita.

Ontem vi a quarta temporada das histórias de Harry Ambrose. Jessica Biel segue como Produtora do show, mas o palco ficou para Bill Pullman. O Policial Ambrose dele está cada vez mais soturno e cheio de fantasmas do passado que teimam em lhe tirar o sono e aparecer para diálogos fictícios em momentos chave da trama.

Aqui, ele vai com a namorada (Jessica Hecht, ótima no papel da fotógrafa Sonya Barzel) para uma ilha na Nova Scotia, Canadá, passar dias idílicos e românticos, comendo lagosta e bebendo vinho. Na primeira noite de insônia Harry se depara com uma linda jovem (Alice Kremelberg como Percy Muldoon) que aparentemente se joga de um penhasco.

Pronto. Harry Ambrose tem outro caso intricado para ocupar suas noites de insônia. A menina é a herdeira da família mais rica da cidade, os Muldoon, um clã que domina o local há muitos anos e resiste à entrada de pescadores coreanos que insistem em se estabelecer e até abriram um restaurante, o THE GOLDEN FISH.

A matriarca dos Muldoon é a avó de Percy, Meg Muldoon, uma senhora dominadora e que traz a cidade toda (inclusive a Polícia) sob rédea curta. Meg é mais um trabalho incrível da notável atriz Frances Fisher, atriz inglesa de 70 anos, vista em OS IMPERDOÁVEIS e TITANIC, só para citar dois dos 153 filmes em que atuou. Frances é daquelas atrizes de presença magnética. Ela aparece na tela e a gente fica hipnotizado olhando a personagem que ela criou, sempre, com muito talento.

Os roteiros de THE SINNER seguem muito bons. As tramas policiais são sempre muito intrincadas e cheias de meandros e reviravoltas. Mas o darma onde Harry Ambrose vai mergulhar é ainda mais criativa e surpreendente. Mentiras, traições, preconceitos e racismo, grandes temas para um thriller.

Os fantasmas de Harry Ambrose seguem fascinantes. Ele já é um personagem que a gente vai lembrar por muito tempo.

I still remember when in 2017, on a Saturday, I sat in front of the TV and put it on NETFLIX to watch a new series called THE SINNER. Jessica Biel and Bill Pullman starred in the dark story of a woman who stabs people on a playful beach day and lures dark Detective Harry Ambrose to investigate the traumas of her past. It was a dark series, but very well done.

Yesterday I saw the fourth season of the Harry Ambrose stories. Jessica Biel remains as Producer of the show, but the stage has been left to Bill Pullman. His Ambrose is getting darker and darker and full of ghosts from the past that insist on keeping him awake and appearing for fictional dialogue at key moments in the plot.

Here, he goes with his girlfriend (Jessica Hecht, great as photographer Sonya Barzel) to an island in Nova Scotia, Canada, to spend idyllic, romantic days, eating lobster and drinking wine. On the first night of insomnia, Harry comes across a beautiful young woman (Alice Kremelberg as Percy Muldoon) who apparently throws herself off a cliff.

Ready. Harry Ambrose has another intricate case to occupy his sleepless nights. The girl is the heir of the richest family in town, the Muldoons, a clan that has ruled the place for many years and resists the entry of Korean fishermen who insist on settling down and even opened a restaurant, THE GOLDEN FISH.

The matriarch of the Muldoons is Percy’s grandmother Meg Muldoon, a domineering lady who brings the whole town (including the Police) on a tight leash. Meg is yet another incredible work by the remarkable actress Frances Fisher, a 70-year-old English actress seen in THE UNFORGIVEN and TITANIC, just to name two of the 153 films she has starred in. Frances is one of those actresses with a magnetic presence. She appears on the screen and we are hypnotised looking at the character she created, always with great talent.

THE SINNER’s scripts are still very good. Police plots are always very intricate and full of twists and turns. But the dharma that Harry Ambrose will dive into is even more creative and surprising. Lies, treason, prejudice, racism, great subjects for a thriller.

The ghosts of Harry Ambrose remain fascinating. He is already a character that we will remember for a long time.

.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.