BILLY THE KID: EPIX Faz Mini Série Sobre o Mitológico Pistoleiro

O EPIX está apresentando uma mini série (3 capítulos) com mais uma versão da vida do legendário pistoleiro Billy The Kid.

Deve haver uma centena de filmes e séries contando fatos e partes da vida de BILLY THE KID.

William Henry McCarty, o Billy the Kid viveu entre 1859 e 1881, quando foi morto pelo não menos famosos Xerife Pat Garret.

Para citar apenas um filme memorável sobre o personagem, fico com PAT GARRET & BILLY THE KID, que o mestre Sam Peckinpah fez em 1973, com James Coburn, como Pat Garret e Kris Kristofferson como Billy the Kid. Um filmaço com Bob Dylan e “Knockin’ on the Heaven’s Door” na trilha sonora.

A série do EPIX nunca pensou em chegar perto da obra prima de Peckinpah. Mas achou seu caminho. Fez uma espécie de prequel da vida de Billy The Kid, desde que ele menino viaja de Nova Iorque para o Oeste, com sua família irlandesa em busca de oportunidade.

Achei a série bem engenhosa e produzida com esmero. Tom Blyth faz um excelente Billy the Kid.

As filmagens são impecáveis e levam o espectador à época em que os tiroteios eram a forma de se expressar e resolver conflitos.

No tempo de Billy the Kid, não havia redes sociais.

EPIX is presenting a miniseries (3 chapters) with another version of the life of legendary gunslinger Billy The Kid.

There must be a hundred movies and series telling facts and parts of BILLY THE KID‘s life.

William Henry McCarty, Billy the Kid lived between 1859 and 1881, when he was killed by the no less famous Sheriff Pat Garrett.

To name just one memorable movie about the character, I’ll stick with PAT GARRET & BILLY THE KID, which master Sam Peckinpah made in 1973, with James Coburn as Pat Garret and Kris Kristofferson as Billy the Kid. A film with Bob Dylan and “Knockin’ on the Heaven’s Door” on the soundtrack.

The EPIX series never thought to come close to Peckinpah’s masterpiece. But it found its way. It made a kind of prequel to Billy The Kid’s life, since he was a boy traveling West from New York with his Irish family in search of opportunity.

I found the series to be very ingenious and produced with care. Tom Blyth is a great Billy the kid.

The footage is impeccable and takes the viewer to a time when shootings were a way of expressing themselves and resolving conflicts.

In Billy the Kid’s time, there was no social media.



Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.