O CASAMENTO DO MEU MELHOR AMIGO: 25 Anos de uma Comédia Romântica Antológica

Em 1997, eu estava nos Estados Unidos e fui ao cinema ver o lançamento da comédia romântica O CASAMENTO DO MEU MELHOR AMIGO, que o cineasta australiano P.J.Hogan fizera, estrelando Julia Roberts, Cameron Diaz, Rupert Everett e Dermot Mulroney.

Julia vinha de dois ótimos filmes sérios: MICHAEL COLLINS e MARY REILLY. Seu trabalho imediatamente anterior à comédia de Hogan tinha sido TODOS SABEM QUE TE AMO, de Woody Allen.

Lembro que os jornais anunciavam que Julianne Potter, a crítica de gastronomia que viaja a Chicago com a idéia de sabotar o casamento de Michael O’Neil e Kimberley Wallace seria o primeiro papel de vilã da “namoradinha da América”.

Embora a personagem faça coisas horríveis para dinamitar o casamento de seu melhor amigo, o charme absoluto de Julia Roberts supera qualquer idéia de vilania.

O filme tem dois números musicais gloriosos com a canção I SAY A LITTLE PRAYER, de Burt Bacharach e Hal David, um cantado por todo o elenco, em uma cena inesquecível.

O grande crítico Luiz Carlos Merten, nesta semana lembrou dos 25 anos do lançamento do filme. Como sempre, acertou o alvo ao dizer que quem rouba o filme é o ator inglês Rupert Everett com o papel de George Downes, o editor de Julianne, que viaja até lá para resgatar a amiga em apuros. George é puro charme.

Ontem fui rever O CASAMENTO DO MEU MELHOR AMIGO. O filme segue intacto e moderno (salvo pelos aparelhos de telefone celular que pareciam tijolos com flip). Continua sendo uma comédia romântica impecável.

A trilogia de Julia Roberts como rainha da comédia romântica (UMA LINDA MULHER, O CASAMENTO DE MEU MELHOR AMIGO e UM LUGAR CHAMADO NOTTING HILL) permanece em nossa memória e corações.

In 1997, I was in the United States and went to the cinema to see the release of the romantic comedy MY BEST FRIEND’S WEDDING, which Australian filmmaker P.J. Hogan had made, starring Julia Roberts, Cameron Diaz, Rupert Everett and Dermot Mulroney.

Julia came from two great dramatic movies: MICHAEL COLLINS and MARY REILLY. His work immediately preceding the Hogan comedy had been EVERYONE SAYS I LOVE YOU, by Woody Allen.

I remember the newspapers announcing that Julianne Potter, the food critic who travels to Chicago with the idea of ​​sabotaging the marriage of Michael O’Neil and Kimberley Wallace, would be the first villain role for “America’s sweetheart.”

Though the character does horrible things to blow up her best friend’s wedding, Julia Roberts’ sheer charm trumps any idea of ​​villainy.

The film has two glorious musical numbers with the song I SAY A LITTLE PRAYER by Burt Bacharach and Hal David, one sung by the entire cast, in an unforgettable scene.

The great critic Luiz Carlos Merten, this week recalled the 25th anniversary of the film’s release. As always, he hits the mark when he says that the film is stolen by English actor Rupert Everett in the role of George Downes, Julianne’s editor, who travels there to rescue his friend in trouble. George is pure charm.

Yesterday I went to review MY BEST FRIEND’S WEDDING. The film remains intact and modern (save for the cell phone devices that looked like bricks with flips). It remains an impeccable romantic comedy.

Julia Roberts’ trilogy as queen of romantic comedy (PRETTY WOMAN, MY BEST FRIEND’S WEDDING, and NOTTING HILL) will remain in our memory and hearts.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.