MARLOWE, de Neil Jordan Agrada no Festival de San Sebastian

O site SCREEN DAILY publicou a primeira crítica do aguardado filme MARLOWE, onde o cineasta Neil Jordan retoma o Detetive Phillip Marlowe, criação de Raymond Chandler.

Diz o texto: “Estou ficando velho demais para isso”, pondera Philip Marlowe (Liam Neeson), após uma reviravolta inconstante. Sua última excursão às telas, Marlowe de Neil Jordan, sugere que o nobre sapato de borracha de Raymond Chandler pode ter razão, e que finalmente é hora do detetive mais famoso do cinema se aposentar do serviço de tela ativo. Baseado em um dos vários revivals de livros autorizados do personagem – ‘The Black-Eyed Blonde’, de John Banville, de 2014 – o filme de Jordan apresenta alguns tropos noir temáticos e estilísticos familiares, mas além de seus toques auto-reflexivos e um sabor distintamente irlandês, o filme lança pouca luz nova sobre um herói cuja última encarnação verdadeiramente revisionista foi o moderno Marlowe de Elliott Gould em The Long Goodbye, de Robert Altman, de 1973.”

“O cenário é Los Angeles de 1939 – o ano em que Chandler publicou seu primeiro romance de Marlowe ‘The Big Sleep’. Entrando nos reverenciados sotaques de Humphrey Bogart – embora ele se sinta mais próximo do Marlowe dos anos 1970 de Robert Mitchum de Farewell, My Lovely and The Big Sleep – está Neeson, um protagonista memorável em Michael Collins de Jordan em 1996. Pagando a honrada visita ao escritório do investigador está a honrada dama misteriosa – uma Clare Cavendish (Diane Kruger), uma mulher casada e rica que quer que Marlowe localize seu amante desaparecido, uma pequena figura do cinema e em tempo integral. sedutor chamado Nico Peterson. Parece que Peterson foi atropelado e morto do lado de fora do Corbata Club, um lugar elegante com atrações noturnas não tão elegantes.”

“Marlowe interpreta o gato e o rato em seu interrogatório inicial do gerente do clube Floyd Hanson (um Danny Huston zombeteiro e ameaçador). Sem surpresa, acontece que Peterson não está realmente morto, mas conduzindo alguns negócios obscuros no México – então quem e o que está por trás da morte falsa? Marlowe investiga a obscura piscina da corrupção, com a ajuda de seus amigos policiais Joe Green (Ian Hart, com ritmos vibrantes mais condizentes com um personagem de Damon Runyon) e a criação original de Chandler, Bernie Ohls (Colm Meaney). E ele mesmo é apoiado, com diferentes graus de amabilidade venenosa, pela mãe de Clare, Dorothy Quincannon (Lange), uma ex-deusa do cinema mudo, e pelo mafioso Lou Hendricks (Alan Cumming, como um sulista maduro e sedoso).”

“Com base no livro do estimado romancista literário irlandês Banville, que tem um thriller secundário sob o pseudônimo de “Benjamin Black”, Marlowe excentricamente lança o velho país onde quer que ele couber: alguns bate-papos sobre James Joyce; O nome da sra. Cavendish era Clare, como o condado; Marlowe tendo servido com os Royal Irish Rifles; até mesmo uma piada sobre “um shamus chamado Seamus”. Também de Banville é uma brincadeira com o nome de Marlowe, com um personagem citando uma frase do ‘Doutor Faustus’ daquele dramaturgo: “Ora, isso é o inferno…”

MARLOWE estréia em 02 de dezembro de 2022.

The site SCREEN DAILY published the first review of long-awaited movie MARLOWE, that Neil Jordan shows the P.I. Philip Marlowe, creation of writer Raymond Chandler. The review says:

“I’m getting too old for this,” muses Philip Marlowe (Liam Neeson), after a desultory punch-up. His latest screen excursion, Neil Jordan’s Marlowe, suggests that Raymond Chandler’s noble gumshoe may have a point, and that it’s finally time for cinema’s most famous hard-boiled sleuth to retire from active screen service. Based on one of several authorised print revivals of the character – John Banville’s 2014 ’The Black-Eyed Blonde’ – Jordan’s film trots out some familiar thematic and stylistic noir tropes, but beyond its self-reflexive touches and a distinctly Irish flavour, the film sheds little new light on a hero whose last truly revisionist incarnation was Elliott Gould’s modern-day Marlowe in Robert Altman’s 1973 The Long Goodbye.”

“The setting is Los Angeles of 1939 – the year that Chandler published his first Marlowe novel ’The Big Sleep’. Stepping into Humphrey Bogart’s revered brogues – although he feels closer to Robert Mitchum’s 1970s Marlowe from Farewell, My Lovely and The Big Sleep – is Neeson, a memorable lead in Jordan’s 1996 Michael Collins. Paying the time-honoured visit to the investigator’s office is the time-honoured mystery dame – one Clare Cavendish (Diane Kruger), a wealthy married woman who wants Marlowe to locate her missing lover, a small-time movie biz figure and full-time lothario named Nico Peterson. It seems that Peterson has been run over and killed outside the Corbata Club, a classy joint with not so classy after-hours attractions.”

“Marlowe plays cat and mouse in his initial grilling of club manager Floyd Hanson (a quizzically menacing Danny Huston). Unsurprisingly, it turns out that Peterson is not really dead, but conducting some shady business in Mexico – so who and what are behind the fake death? Marlowe looks into the murky pool of corruption, with the aid of his police buddies Joe Green (Ian Hart, with twangy rhythms more befitting a Damon Runyon character) and original Chandler creation Bernie Ohls (Colm Meaney). And he himself is leaned on, with different degrees of poisonous amiability, by Clare’s mother Dorothy Quincannon (Lange), a former silent screen goddess, and mobster Lou Hendricks (Alan Cumming, as a ripely silky southerner).”

“Drawing on the book by esteemed Irish literary novelist Banville, who has a thriller sideline under the nom de crime ‘Benjamin Black’, Marlowe eccentrically throws in the old country wherever it will fit: some backchat about James Joyce; Mrs Cavendish’s name being Clare, like the county; Marlowe having served with the Royal Irish Rifles; even a gag about “a shamus named Seamus”. Also from Banville is a play on Marlowe’s name, with a character quoting a line from that playwright’s ’Doctor Faustus’: “Why, this is hell…”

MARLOWE will be released in December, 2nd, 2022.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.