O PODEROSO CHEFAO (1972), de Francis Ford Coppola é um filme perfeito. Em minha opinião, não haveria um só fotograma a ser melhorado. Nenhuma linha do roteiro. Nenhum ator ou atriz. Nada. Tudo se encaixou a perfeição. Um fenômeno que raramente ocorre.

Além disto, tem, para mim, a melhor interpretação de um ator na história do cinema, o Dom Vito Corleone de Marlon Brando. Um personagem extremamente complexo ganhou vida pelo talento extraordinário do ator, passando a ser uma pessoa real. Capaz de ordenar a morte a sangue frio de dezenas de inimigos, sem piscar e, no instante seguinte, brincar inocentemente com o neto no jardim de casa ou dançar lindamente com sua filha na inesquecível cena do casamento.

Os demais membros do elenco também fazem trabalhos espetaculares, sendo que o noviço Al Pacino, como Michael, James Caan (Sonny), Robert Duvall (Tom Hagen) e Diane Keaton(Kay) tem performances inesquecíveis.

O roteiro de Mario Puzzo (escrito com Coppola), baseado em seu próprio livro tem algumas dezenas de frases antológicas, como “Eu vou fazer a ele uma oferta que ele não pode recusar.”

E a musica de Nino Rota? Uma obra-prima!

Os outros dois filmes da trilogia de O PODEROSO CHEFAO igualmente são excelentes, mas este esta acima deles. A perfeição somente é atingida poucas vezes.

 

The Godfather (1972), Francis Ford Coppola is a perfect movie. In my opinion, there would be one frame to be improved. Not even a line of the script. No actor or actress should be changed. Anything. Everything fits perfect. A phenomenon that rarely occurs.

In addition, it has, for me, the best interpretation of an actor in the history of cinema, Don Vito Corleone Marlon Brando. An extremely complex character was brought to life by the extraordinary talent of the actor, going to be a real person. Capable of ordering the killing in cold blood of dozes of enemies, unblinking, and the next moment, innocently playing with grandson in the home garden or dance beautifully with his daughter in an unforgettable wedding scene.

The other cast members also do spectacular work, and the novice Al Pacino as Michael, James Caan (Sonny), Robert Duvall (Tom Hagen) and Diane Keaton (Kay) has unforgettable performances.

The script of Mario Puzzo (written with Coppola), based on his own book hás dozens of anthological phrases like “I’ll make him an offer he can not refuse.”

And the music of Nino Rota? A masterpiece!

The other two films of the Godfather trilogy also are excellent, but this is above them. Perfection is achieved only rarely.