HOUSE, Meu Médico Favorito

Como quase todas as séries, HOUSE segue sendo reapresentada nos canais de tv a cabo.

Foram oito temporadas. Acho HOUSE uma das melhores séries que já foram feitas.

Em primeiro lugar pelo trabalho do ator Hugh Laurie. Trata-se de um artista soberbo. Cada vez que revejo um episodio, mas me encanto com as sutilezas de suas intepretações. Recentemente, ao ver a serie da BBC, THE NIGHT MANAGER, na qual Laurie faz o vilão, mais ainda me dei conta de seu talento invulgar.

Isto sem contar o show musical inesquecível que ele fez no Teatro do SESI, aqui em Porto Alegre. Artista completo.

O segundo motivo é o personagem do Dr. Gregory House. Baseado livremente em Sherlock Holmes, ele tem inúmeras facetas absolutamente fascinantes. Já debati com muita gente sobre as grosserias que House distribuía para os membros de sua equipe. Tenho convicção que era uma forma de uni-los e não de agredi-los. Isto seria uma diminuição de sua inteligência.

O gesto final dele para Wilson (Robert Sean Leonard) foi das coisas mais espetaculares que um roteiro de televisão já previu. Inesquecível.

Um terceiro motivo para o diferencial de qualidade de HOUSE eram justamente seus roteiros. As historias eram, quase sempre, muito interessantes. O mistério da doença a ser descoberta por HOUSE e sua equipe, vinha misturado com outra ou outras situações bem atrativas do interesse do espectador. Coisa de talento.

E, finalmente, a ousadia de encarar temas absolutamente pesados sem reservas, quando isto ainda não era comum na televisão.

A liberdade sexual da deslumbrante Doutora Thirteen (Olivia Wilde) ou o próprio vicio em drogas do protagonista desfilaram pela tela sem reservas.

HOUSE marcou época. Vale sempre a pena rever.

 

Like almost all tv series, HOUSE continues to be viewed on cable TV channels.

There were eight seasons. HOUSE is, in my opinion, one of the best series ever made.

First of all, because of the actor’s work, Hugh Laurie. This is an superb artist. Each time I review an episode, I am again charmed with the subtleties of his interpretations. Recently, I saw the BBC series, THE NIGHT MANAGER, in which Laurie is the villain, and even more I realized his unusual talent.

Not to mention the unforgettable musical show he did in the SESI Theater here in Porto Alegre. He is a complete artist.

The second reason is the character of Dr. Gregory House. Based freely on Sherlock Holmes, he has numerous absolutely fascinating facets. I have struggled with several friends about the coarseness that House distributed to the members of his team. I am convinced that it was a way to unite them, not attacking them. This would be a decrease of intelligence.

The final gesture to Wilson was the most spectacular thing a television script already predicted. Unforgettable.

A third reason for the HOUSE quality differential was precisely the scripts of the show. The stories were almost always very interesting. The mystery of the disease to be discovered by HOUSE and his team, was mixed with another or others and attractive situations for the viewer’s interest. A talent thing.

And finally, the is no fear to face heavy themes with absolutely no reservations when it was not common on television.

Sexual freedom of stunning Doctor Thirteen or the own drug addiction of the protagonist paraded across the screen without reservation.

HOUSE is the best of its period. It always worth reviewing.

 

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.