PASSAGEIROS, do norueguês Morten Tyldum (realizador do excelente JOGO DA IMITAÇÃO) traz uma historia tão interessante de se acompanhar que oculta uma serie de falhas do filme.

O espectador fica absolutamente fascinado por ver o que vai acontecer com aqueles dois passageiros, naquela nave imensa, pelos próximos noventa anos.

Claro que o charme, a beleza e o talento incrivelmente superiores de Jennifer Lawrence dão ao filme uma dimensão que ele não teria. A presença dela na tela segura a atenção em qualquer cena.

Chris Pratt, em nível bem abaixo, funciona melhor como herói de ação, perdendo muito nas cenas mais dramáticas. Quem faz um excelente personagem é Michael Sheen, como o Bartender Robô. Impecável.

Para mim, como drama e romance, PASSAGEIROS foi muito bem. Quando voltou a ser filme de aventura no espaço, perdeu o fôlego.

Mas sempre vale muito a pena ver Jennifer Lawrence.

 

PASSENGERS, from the Norwegian Morten Tyldum (director of the excellent IMITATION GAME) brings such an interesting story to follow that it hides a series of flaws from the film.

The viewer stays absolutely fascinated to see what will happen to those two passengers, on that huge ship, for the next ninety years.

Of course, the unbelievably superior charm, beauty and talent of Jennifer Lawrence give the film a dimension that it would not have. Her presence on the screen holds attention to any scene.

Chris Pratt, far below, works best as an action hero, losing a lot in the most dramatic scenes. Who makes a great character is Michael Sheen, as the Bartender Robot. Impeccable.

For me, like drama and romance, PASSENGERS went very well. When it was back to being an adventure movie in space, it lost its breath.

But Jennifer Lawrence is always worth seeing.