Muitas vezes o cinema americano inventa de fazer um filme descabido. Desta vez foi NOS LIMITES DA LEI (SLEEPLESS – 2016), dirigido pelo cineasta suíço Baran bo Odar.

O filme narra a história de um policial de Las Vegas envolvido em um roubo de cocaína, que vê seu filho raptado por traficantes enquanto é perseguido por uma investigadora da Corregedoria da Polícia. (I.A.)

O elenco, cheio de figurinhas carimbadas, iniciando por Jaime Foxx (Oscar de Melhor Ator por RAY), Michelle Monaghan (Indicada ao Globo de Ouro por TRUE DETECTIVE), Dermot Mulroney, David Harbour e Gabrielle Union se envolve em muitas correrias proporcionadas por um roteiro onde as situações inverossímeis vão se sucedendo aos borbotões.

Ao final do filme, fica a sensação de que aquilo que se assistiu tinha tantas falhas de roteiro que seria impossível um estudo de Hollywood fazer um filme assim. Por incrível que parece, é possível.

 

Often the American cinema invents to make a misplaced film. This timeit was SLEEPLESS (2016), directed by the Swiss filmmaker Baran bo 
Odar.

The film tells the story of a Las Vegas cop involved in a cocaine 
robbery who sees his son abducted by drug dealers while being pursued by a police investigator. (I.A.)

The cast, full of famous actors, beginning with Jaime Foxx (Oscar for Best Actor for RAY), Michelle Monaghan (Golden Globe nominee for 
TRUE DETECTIVE), Dermot Mulroney, David Harbor and Gabrielle Union 
gets involved in many raids provided by a Script where the improbable situations are following in sequence.

At the end of the film, we have the feeling that what you witnessed 
had so many flaws in the script that it would be impossible for a 
Hollywood studio to make such a film. Incredible as it may seem, it 
is possible.