INCONCEBÍVEL, de Jonathan Baker é um thriller da série “Babás Lindas Psicopatas”. Como ele também se encaixa na lista de filmes recentes de Nicholas Cage (que há anos só faz filmes muito ruins), tinha tudo para ser um desastre.

A questão é que a loira psicopata da vez é a modelo/atriz australiana Nicky Whelan, de raras aparições no cinema e fartas exposições na internet.

Ao lado deles, uma septuagenária Faye Dunaway (ah que saudades de BONNIE & CLYDE) e a também figurinha conhecida Gina Gershon.

Os lugares de filmagens são muito lindos, mas a trama não surpreende em nada, cheia de lugares comuns nas dezenas de filmes já feitos com esta mesma história de nannys loucas.

O diretor Jonathan Baker ainda resolve dar uma aparecida a la Hitchcock, para coroar sua bobagem.

INCONCEBÍVEL devia ter ficado na prancheta da concepção.

 

INCONCEIVABLE, by Jonathan Baker is a thriller from the series “Cute Psychopaths Nannies”. Since he also fits Nicholas Cage’s list of recent films (which for years only makes very bad movies), it had everything to be a disaster.

 

The point is that the blonde psychopath of the time is the Australian model / actress Nicky Whelan, of rare appearances in the cinema and abundant expositions in the internet.

 

Next to them, a septuagenarian Faye Dunaway (I miss a lot BONNIE & CLYDE) and the also known figure Gina Gershon.

 

The filming locations are very beautiful, but the plot is not surprising at all, full of common places in the dozens of films already made with this same story of crazy nannies.

 

Director Jonathan Baker still decides to give himself an appearance like Hitchcock, to crown his nonsense.

 

UNBELIEVABLE should have remained on the drawing board.