COPPERS (ROUGH JUSTICE), série policial belga apresentada no canal WALTER PRESENTS (integrante do cardápio do AMAZON PRIME) é mais um exemplo do que os críticos chamam de tendência nordi-noir, ou seja uma leva de filmes policiais de países nórdicos que vem invadindo os cinemas, serviços de streaming e telinhas de todos os tipos.

A novidade de COPPERS é que ela vem da Bégica, um País pequeno (11 milhões de habitantes), super desenvolvido, onde se falam três idiomas (Francês, Alemão e Flemish, uma variação do Holandês), dividido em regiões com forte identidade cultural. Entre elas está a Antuérpia, onde se passam as histórias dos 13 episódios de COPPERS.

Cada episódio tem um crime específico, objeto de investigação pela unidade da Polícia Federal chefiada pela Superintendente Liese Meerhout, uma linda policial obcecada por seu trabalho, apaixonada por rock, com uma vida sexual aberta, culpada por casos de seu passado e  preocupada com o pai solitário, cardíaco e diabético.

Lise é vivida pela atriz belga de cinema e teatro Hilde De Baerdemaeker, profissional com extenso currículo na Bélgica e que somente agora começa a ficar conhecida por aqui, graças aos serviços de streaming. A policial Lise é um personagem rico, complexo, apaixonante e que não hesita em ir atrás da justiça, mesmo que tenha que atropelar algumas regras. Ela é a grande atração de COPPERS.

Na equipe de Lise estão o veterano policial alcoólatra Masson (Luke Wyns), a enciumada colega preterida Sofie(Lotte Pinnoy) e o novato Fabian (Joris Hessels). Eles fazem um time competente, empenhado e capaz de ir atrás de qualquer culpado.

COPPERS tem um nível de roteiros excelente – notadamente nas histórias de fundo que vão sendo construídas ao longo dos episódios, mantendo o espectador em suspense – interpretações ótimas e uma narrativa que mostra os costumes e locais da Antuérpia de modo fascinante.

COPPERS vale muito a pena ser visto. É uma série policial exemplar.

 

COPPERS (ROUGH JUSTICE), a Belgian police series on the WALTER PRESENTS (an excellent channel of AMAZON PRIME menu), is another example of what critics call the nordi-noir trend, a series of Nordic cop films that have been invading cinemas, streaming services and small screens of all kinds.

The novelty of COPPERS is that it comes from Belgium, a small country (11 million of inhabitants), highly developed, where three languages ​​are spoken (French, German and Flemish, a variation of Dutch), divided into regions with a strong cultural identity. Among them is Antwerp, where the stories of the 13 episodes of COPPERS are made.

Each episode has a specific crime, object of investigation by the Federal Police unit headed by Superintendent Liese Meerhout, a beautiful police woman obsessed with her work, passionate about rock, with an open sexual life, guilty of cases from her past and worried about her father solitary, cardiac and diabetic.

Lise is played by Belgian film and theater actress Hilde De Baerdemaeker, a professional with extensive curriculum in Belgium and who is only now getting better known here, thanks to the streaming services. Police Lise is a rich, complex, passionate character who does not hesitate to go after justice, even if she has to trample a few rules. She is the great attraction of COPPERS.

Lise’s team includes veteran cop alcoholic Masson (Luke Wyns), jealous colleague Sofie (Lotte Pinnoy) and rookie Fabian (Joris Hessels). They make a competent team, committed and able to go after any culprit.

COPPERS has an excellent level of screenplay – notably in the background stories that are built up throughout the episodes, keeping the viewer in suspense – great interpretations and a narrative that shows the customs and locations of Antwerp in a fascinating way.

COPPERS is well worth seeing. It’s an exemplary police series.