VOCÊ (YOU), série policial da NETFLIX tem um ponto de partida muito além do interessante. O dono de uma livraria de Nova Iorque cria uma obssessão por uma linda estudante de literatura que vai até a loja. O stalker passa a segui-la (e as suas amigas) e cria o objetivo doentio de casar com ela a qualquer custo.

Há vários bons temas tangenciais pela série, em seus nove capítulos, tais como a superficialidade das relações afetivas atuais, a dependência das redes sociais e das opiniões dos amigos/amigas, o voyeurismo, o abandono da literatura como fonte de cultura e informação, a violência doméstica etc.

O problema é que tudo isto de importante deixou de ser melhor desenvolvido em nome de um enredo policial bastante comum e já explorado demais: o psicopata obcecado por uma linda mulher.

Penn Badgley (GOSSIP GIRL) vive o louquinho da vez, Joe Goldberg, jovem pobre que herda a livraria de outro maluco de pedra e passa a usar a loja como centro de atração de suas conquistas. Elizabeth Lail (de ERA UMA VEZ, BLACKLIST e THE GOOD FIGHT) é a mocinha em perigo. Suas amigas (típicas gossip girls) são Nicole Kang (Lynn), Katryn Gallagher (Annika) e Shay Mitchell (de GLEE), como a perua rica, ambiciosa e maluquete Peach Sallinger (parente distante do famoso escritor).

Boa parte da diversão da série se passa em torno das ininterruptas mensagens de WhatsApp trocada por elas.

Ainda há outro tema sério que são os abusos domésticos que uma vizinha latina do protagonista e seu filho menor sofrem de um policial novaiorquino alcoólatra. Também é tratado lateralmente.

VOCÊ tem outro defeito grave. Lá pelas tantas passam a surgir assassinatos demais e, consequentemente, cadáveres demais. E os corpos são descartados no jardim da esquina sem que ninguém em Nova Iorque veja e sem que os desaparecimentos súbitos das pessoas criem os maiores problemas.

Na minha opinião, VOCÊ poderia ter sido muito melhor que foi.

YOU, the NETFLIX thriller series has a starting point far beyond the interesting. The owner of a New York bookstore creates an obsession with a beautiful literature student who goes to the store. The stalker follows her (and her friends) and creates the unhealthy goal of marrying her at any cost.

There are several good themes that are tangential to the series in its nine chapters, such as the superficiality of current affective relations, dependence on social networks and friends’ opinions, voyeurism, abandonment of literature as a source of culture and information, domestic violence etc.

The problem is that all this is no longer important in the name of a rather common and already exploited police plot: the psychopath obsessed by a beautiful woman.

Penn Badgley (GOSSIP GIRL) lives the freak Joe Goldberg , poor young man who inherits the bookstore from another crazy person and starts to use the store as a center of attraction for his achievements. Elizabeth Lail (from ONE UPON A TIME, BLACKLIST and THE GOOD FIGHT ) is the young girl in distress. Her friends (typical gossip girls) are Nicole Kang (Lynn), Katryn Gallagher (Annika) and Shay Mitchell, as the rich, ambitious and crazy Peach Sallinger (distant relative of the famous writer).

Much of the fun in the series takes place around the uninterrupted WhatsApp messages exchanged for them.

There is yet another serious issue that is the domestic abuse that a Latina neighbor of the protagonist and her youngest son suffer from a New Yorker alcoholic policeman. It is also treated laterally.

YOU have another serious problem. There are too many murders and, consequently, too many corpses. And the bodies are discarded in the corner garden without anyone in New York watching and without the sudden disappearances of people creating the biggest problems.

In my opinion, YOU could have been so much better that it was.