JACK RYAN TEMPORADA 2: CIA Entra de Cabeça na Venezuela (ao Menos na Série da AMAZON)

A segunda temporada da série mais empenhada da AMAZON estreou neste final de semana com oito capítulos trazendo uma nova aventura do analista da CIA transformado em agente de campo, Jack Ryan, personagem criado pelo escritor Tom Clancy. Se no opus one, Ryan corria o mundo atrás de terroristas árabes, agora o vilão a ser derrotado é nada mais nada menos que o Presidente Nicolás Reyes, um tirano populista que governa a Venezuela.

Para justificar um pouco mais a intervenção da CIA na Venezuela, existe uma trama sobre um metal precioso empregado na indústrria eletrônica, cujas reservas conhecidas estão restritas à China e que aparece no solo venezuelano.

Isto somado a violações dos direitos humanos, ameaça à democracia e a morte de um senador americano em território venezuelano dão a autorização para Ryan e seus companheiros entrarem no País e passarem a agir como se não houvesse amanhã.

Aliás um dos charmes principais do personagem central é a inconformidade dele com as regras estabelecidas, um espião que age pela sua convicção se lixando para as ordens recebidas, os protocolos da CIA e os interesses da missão. Em vários momentos, Ryan parece um adolescente que recebendo uma determinação segue exatamente o caminho oposto.

Claro que tudo termina bem para nosso super espião, apesar de algumas doloridas perdas pelo caminho. Uma produção nota dez e uma certa inovação na forma de filmar a trama garantem um aspecto formal de superprodução para este JACK RYAN 2.

Outra coisa boa é, como sempre, o elenco: além de John Krasinsky (um dos atores e diretores da moda em Hollywood), tem Wendell Pierce (SUITS), Noomi Rapace (a Lisbeth Salander da trilogia sueca), Susan Misner, Jordi Mollá (como o presidente clone de Maduro), a atriz colombiana Cristina Umaña (como a candidata de oposição), Michael Kelly (de HOUSE OF CARDS), Tom Wlashiha (de CROSSING LINES) e Michael O’Neil.

Acho que se a gente se concentrar nos aspectos políticos da história, a série vai perder pontos pela parcialidade do argumento. Mas se o foco do espectador for apenas a história de espionagem, com emboscadas, bombas, tiroteios a granel, gadgets tecnológicos, armas impressionantes e muita ação, JACK RYAN vai agradar em cheio.

Já é certo que Ryan volta na terceira temporada. Ele merece.

The second season of AMAZON‘s most committed series debuted this weekend with eight chapters featuring a new adventure from CIA analyst turned field agent Jack Ryan, character created by writer Tom Clancy. If in opus one, Ryan ran the world after Arab terrorists, now the villain to be defeated is nothing less than President Nicolás Reyes, a populist tyrant who rules Venezuela.

To further justify the CIA’s intervention in Venezuela, there is a plot about a precious metal used in the electronics industry, whose known reserves are restricted to China and that appears on Venezuelan soil.

This, coupled with human rights violations, threats to democracy, and the death of a US senator on Venezuelan territory give Ryan and his comrades permission to enter the country and act as if there is no tomorrow.

By the way, one of the central character’s main charms is his non-compliance with the established rules, a spy who acts by his conviction by screwing up on orders received, CIA protocols, and mission interests. At various times, Ryan looks like a teenager who getting a determination goes the exact opposite way.

Of course it all ends well for our super spy, despite some painful losses along the way. A productiuon with ilimited resoruces and some innovation in the way they shoot the plot guarantee a formal aspect of megaproduction for this TOM CLANCY’S JACK RYAN 2.

Another good thing is, as always, the cast: in addition to John Krasinsky (one of the Hollywood trend actors and directors), there is Wendell Pierce (SUITS), Noomi Rapace (the Lisbeth Salander of the Swedish trilogy), Susan Misner, Jordi Mollá (as Maduro’s clone president), Colombian actress Cristina Umaña (as the opposition candidate), Michael Kelly (of HOUSE OF CARDS), Tom Wlashiha (of CROSSING LINES) and Michael O’Neil.

I think if we focus on the political aspects of the story, the series will lose points for the bias of the argument. But if the viewer’s focus is just the spy story, with ambushes, bombs, several shootings, tech gadgets, awesome weapons and a lot of action, JACK RYAN will please you.

It is already certain that Ryan returns in season three. He deserves.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s