A TORTURA DO SILÊNCIO: Hitchcock e Montgomery Clift em um Thriller Nota Dez

Em 1953, Alfred Hitchcock dirigiu um filme memorável que não está entre os títulos mais conhecidos do mestre: A TORTURA DO SILÊNCIO (I CONFESS), estrelado por Montgomery Clift, Karl Malden e Anne Baxter.

Um Padre recebe uma confissão de um imigrante alemão que trabalha com a esposa na paróquia, onde ele diz que assassinou um eminente advogado que trabalha há alguma quadra da Igreja. O crime passa a ser investigado por um obcecado detetive conhecido por resolver 100% de seus casos e, claro, o Padre passa a ser o principal suspeito.

Torturado entre o dever de sigilo pelo segredo confessional e a iminência de ser preso e condenado, o Padre Michael Logan passa a viver seu pior pesadelo. Montgomery Clift, jovem ator americano teve uma carreira curta – apenas 18 filmes – porque morreu muito jovem aos 45 anos. Contudo, conta em seu currículo com filmes como A UM PASSO DA ETERNIDADE, RIO VERMELHO, UM LUGAR AO SOL e O JULGAMENTO DE NUREMBERG. A TORTURA DO SILÊNCIO lhe deu um de seus mais reconhecidos trabalhos no cinema.

Alfred Hitchcock, na década de 50 estava entrando em seu período mais rico e produtivo, quando fez as obras primas UM CORPO QUE CAI, JANELA INDISCRETA e INTRIGA INTERNACIONAL. Sua aparição em A TORTURA DO SILÊNCIO se dá logo na primeira cena, com uma tirada de humor que somente o Velho Hitch teria.

A TORTURA DO SILÊNCIO é um thriller exemplar. A história é bem escrita, a trama prende o espectador de forma perfeita, as interpretações maravilhosas e o suspense criado sobre o desfecho é digno do mestre.

Alfred Hitchcock sabia fazer filmes como poucos.

In 1953, Alfred Hitchcock directed a memorable film that is not among the master’s well-known titles: I CONFESS, starring Montgomery Clift, Karl Malden and Anne Baxter.

A priest receives a confession from a German immigrant who works with his wife in the parish, where he says he murdered an eminent lawyer who works some blocks from the Church. The crime is investigated by an obsessed detective known for solving 100% of his cases and, of course, the Priest becomes the main suspect.

Tortured between the duty for confessional secrecy and the imminence of being arrested and convicted, Father Michael Logan begins to live his worst nightmare. Montgomery Clift, a young American actor, had a short career – only 18 films – because he died very young at 45. However, he has in his resume films such as FROM HERE TO ETERNITY, RED RIVER, A PLACE IN THE SUN and THE JUDGMENT OF NUREMBERG. I CONFESS gave him one of his most recognized works in cinema.

Alfred Hitchcock, in the 50’s was entering its richest and most productive period, when he made the masterpieces VERTIGO, REAR WINDOW and NORTH BY NORTWEST. His appearance in I CONFESS takes place right in the first scene, with a humorous streak that only Old Hitch would have.

I CONFESS is an exemplary thriller. The story is well written, the plot captures the viewer perfectly, there are wonderful interpretations and the suspense created about the outcome is worthy of the master.

Alfred Hitchcock knew how to make films like few others.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.