O MISTÉRIO DE HENRI PICK: Quem Escreveu o Best Seller Rejeitado Por Todas as Editoras?

Em 2008, um jovem cineasta francês ganhou a ESTRELA DE OURO, com seu filme O PRIMEIRO DIA DO RESTO DE TUA VIDA. Naquele trabalho, Remi Bazançon chamou a atenção do meio cinematográfico. Roteirista e diretor, em 2019, ele lançou O MISTÉRIO DE HENRI PICK, um segundo trabalho muito elogiado que integra o FESTIVAL VARILUX DE CINEMA FRANCÊS EM CASA, disponível no site http://www.looke.com.br.

O filme narra a história de uma jovem editora de livros francesa que passando férias em sua terra natal na Bretanha com o pai e o marido, descobre que um morador local, amante da literatura, criou um Biblioteca de Manuscritos Rejeitados por Editoras. Ao visitá-la pela primeira vez, ela encontra um original de uma história de amor escrita de forma surpreendente e espetacular. O autor era o pizzaiolo local, Henri Pick, morto dois anos atrás.

A jovem editora pede autorização da família de Pick (a viúva e a filha) e resolve editar o livro. O sucesso é instantâneo e gigantesco. As sucessivas impressões vão se esgotando rapidamente e o livro é traduzido para vários idiomas e vendido para o cinema.

Dando uma entrevista em famoso programa de TV sobre literatura, a editora e a viúva são confrontadas por um famoso crítico literário que não acredita que um pizzaiolo tenha escrito uma obra tão bem feita e sensível. O ríspido diálogo termina com o programa, o emprego do crítico e seu casamento. a partir daí, ele faz como cruzada de sua vida descobrir se Henri Pick efetivamente escreveu o livro ou não.

O MISTÉRIO DE HENRI PICK é cinema moderno francês da melhor qualidade. Tem um roteiro ágil, criativo, inteligente, sensível e repleto de situações cômicas e dramáticas que se colocam para os personagens, todos pessoas comuns com medos, anseios e carências típicas da nossa época.

Fabrice Luchini (DENTRO DE CASA e MOLIÈRE) faz um trabalho excepcional como o crítico Jean-Michel Rouche. Erudito, presunçoso, arrogante e insensível, ele, ao mesmo tempo se revela apaixonado pelo livro e determinado a resolver o mistério. A segunda figura do elenco é a atriz Camille Cotin (vista em ALIADOS, com Brad Pitt e Marion Cotillard), fazendo Joséphine Pick, a filha do suposto escritor, que se envolve com Rouche na pesquisa, meio por curiosidade, meio por orgulho do pai, mas também para proteger sua mãe. É um personagem complexo, emotivo e muito interessante.

A jovem editora que descobriu o livro, Daphné Despero é feita pela jovem Alice Isaaz, que contracenou com Isabelle Huppert em ELLE. O elenco ainda tem muitos atores e atrizes em ótimos papeis secundários de personagens relevantes na trama como o namorado da editora e escritor iniciante Fred Koskas (Bastien Bouillion), a viúva Madeleine Pick (Josiane Stoléru), a dona da editora Inès de Crécy (a ótima Astrid Whetnall) Magali Rose a bibliotecária espetacularmente feita pela atriz Marie-Christine Orry e o pai da editora o típico bretão Gérard Despero (Vincent Winterhalter). Há, por fim, uma participação especial muito afetiva (e importante): a atriz alemã Hanna Schygulla (musa do cineasta Rainer Werner Fassbinder com quem fez 23 filmes, entre os quais AS LÁGRIMAS AMARGAS DE PETRA VON KANT e O CASAMENTO DE MARIA BRAUN), hoje com 77 anos faz a viúva do livreiro bretão Jean-Pierre Grouvec, a emotiva imigrante russa Ludmila Blavitsky.

A fotografia do filme (feita pelo talentoso Antoine Monod) explora tudo de lindo que a paisagem da cidade de Crozon, na Bretanha pode proporcionar. Laurent Perez del Mar faz uma trilha sonora inspiradíssima, como já tinha feito no ótimo desenho THE RED TURTLE.

O MISTÉRIO DE HENRI PICK é um filme moderno, com temas da atualidade, sensível, emocionante e criativo. Faz o espectador ter quase duas horas de entretenimento inteligente e, após o filme, ficar desejando que a história linda contada no filme fosse real e não terminasse tão cedo. Melhor reconhecimento o filme não poderia ter.

In 2008, a young French filmmaker won the GOLD STAR, with his film THE FIRST DAY OF THE REST OF YOUR LIFE. In that work, Remi Bazançon drew the attention of the film industry. Screenwriter and director, in 2019, he launched THE MYSTERY OF HENRI PICK (LE MYSTÈRE HENRI PICK), a second highly praised work that integrates the VARILUX FESTIVAL OF CINEMA FRENCH AT HOME, available at http://www.looke.com.br.

The film tells the story of a young female French book publisher who, on vacation in her native Britain in Brittany with her father and husband, discovers that a local resident, a lover of literature, created a Library of Manuscripts Rejected by Publishers. When visiting it for the first time, she finds an original of a love story written in a surprising and spectacular way. The author was the local pizzaiolo, Henri Pick, who died two years ago.

The young publisher asks for authorization from Pick’s family (the widow and the daughter) and decides to edit the book. Success is instantaneous and gigantic. The successive impressions are quickly sold out and the book is translated into several languages ​​and sold to the cinema.

Giving an interview on a famous TV show about literature, the publisher and the widow are confronted by a famous literary critic who does not believe that a pizzaiolo has written a work so well done and sensitive. The harsh dialogue ends with the program, the critic’s job and his marriage. From there on, he makes the crusade of his life to discover whether Henri Pick actually wrote the book or not.

THE MYSTERY OF HENRI PICK is French modern cinema of the best quality. It has an agile, creative, intelligent, sensitive and full of comical and dramatic situations that arise for the characters, all ordinary people with fears, anxieties and needs typical of our time.

Fabrice Luchini (IN THE HOUSE and MOLIÈRE) does an exceptional job as the critic Jean-Michel Rouche. Erudite, presumptuous, arrogant and insensitive, he, at the same time, reveals herself in love with the book and determined to solve the mystery. The second figure of the cast is the actress Camille Cotin (seen in ALLIED, with Brad Pitt and Marion Cotillard), making Joséphine Pick, the daughter of the alleged writer, who gets involved with Rouche in the research, half out of curiosity, half out of pride of the father, but also to protect her mother. She is a complex, emotional and very interesting character.

The young publisher who discovered the book, Daphné Despero is made by young Alice Isaaz, who starred with Isabelle Huppert in ELLE. The cast still has a lot of actors and actresses in great supporting roles of relevant characters in the plot like the boyfriend of the publishing house and budding writer Fred Koskas (Bastien Bouillion), the widow Madeleine Pick (Josiane Stoléru), the owner of the publisher Inès de Crécy (the great Astrid Whetnall) Magali Rose the librarian spectacularly made by actress Marie-Christine Orry and the father of the publishing house the typical Breton Gérard Despero (Vincent Winterhalter). Finally, there is a very affective (and important) special participation: the German actress Hanna Schygulla (muse of filmmaker Rainer Werner Fassbinder with whom she made 23 films, including THE BITTER TEARS OF PETRA VON KANT and THE MARRIAGE OF MARIA BRAUN) , now 77, playing the widow of the bookseller Jean-Pierre Grouvec, the emotive Russian immigrant Ludmila Blavitsky.

The film’s photography (taken by the talented Antoine Monod) explores everything beautiful that the landscape of the city of Crozon can provide. Laurent Perez del Mar makes an inspirational soundtrack, as he had already done in the great animation movie THE RED TURTLE.

THE MYSTERY OF HENRI PICK is a modern film, with current themes, sensitive, exciting and creative. It makes the viewer have almost two hours of intelligent entertainment and, after the film, keep wishing that the beautiful story told in the film was real and would not end so soon. Better recognition the film could not have.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.