MINHA QUERIDA DAMA: Maggie Smith, Kristin Scott Thomas e Kevin Kline em Paris Rendem um Ótimo Filme

“Viager”ou “Life Estate” é um instituto do direito europeu pelo qual a propriedade de um imóvel é ligada até a morte a uma pessoa denominada “life tenant” ou “inquilino perpétuo”. É quase como o usufruto vitalício do direito brasileiro. Há um proprietário do imóvel (o chamado nu-proprietário) e quem o utiliza até o final da vida (o usufrutuário). O filme MINHA QUERIDA DAMA, de Israel Horovitz narra a história de um músico americano que herda do pai uma linda casa em Paris e, quebrado vai para a Cidade Luz, com a intenção de vender a casa e fazer dinheiro. Ao chegar lá, se depara com uma senhora de mais de 90 anos (ela mente sobre a idade) que mora no imóvel com a filha, no sistema de “viager”. O filme está em exibição (sob aluguel) na Amazon Prime Video.

Inicialmente, a relação deles é tempestuosa como era a do filho com o pai ausente. As coisas pioram quando ele descobre que a velha dama fora amante de seu pai por mais de quarenta anos. São os melhores momentos cômicos do filme. Os duelos verbais do americano e as duas mulheres francesas são especialmente engraçados.

O filme deriva para um drama pesado, onde a frieza da relação pai e filho abandonado vem à tona (o alcoolismo e as tentativas de suicídio), a morte de sua mãe, a ausência da figura paterna em sua vida e as traumáticas consequências de tudo isto.

O trio central de atores é nada menos que soberbo: Dame Maggie Smith (Mathilde Girard) é uma dama francesa perfeita (apesar da atriz ser inglesa até a raiz dos cabelos). Smith é notável, aqui como em outros trabalhos como CALIFORNIA SUITE e PRIMAVERA DE UMA SOLTEIRONA (que lhe deram seus dois Oscars de Melhor Atriz), ASSASSINATO EM GOSSFORD PARK , DOWNTON ABBEY, entre tantos outros.

Dame Kristin Scott Thomas (Chloé Girard) é outra atriz maravilhosa. Linda, viva, talentosa, ilumina a cena a cada aparição. Indicada ao Oscar por seu trabalho em O PACIENTE INGLÊS, parece representar melhor a cada trabalho novo. Sua Chloé é agressiva, introspectiva, curiosa, apaixonada, reprimida e fascinante.

Kevin Kline é um dos melhores atores americanos da atualidade. Ganhou o Oscar por seu extraordinário papel em UM PEIXE CHAMADO WANDA. Fez inúmeros trabalhos de alto nível em ótimos filmes como SILVERADO, O REENCONTRO e SERÁ QUE ELE É?

Um trio desta categoria segura o filme com maestria e sensibilidade, prendendo o espectador altamente interessado até o final. E as paisagens de Paris somadas a certas situações muito engraçadas decorrentes do roteiro elevam MINHA QUERIDA DAMA a um ótimo nível.

O diretor e roteirista americano Israel Horovitz é responsável por mais de 50 peças teatrais de sucesso, inclusive com Al Pacino, Diane Keaton, Jill Clayburgh e Jason Robards. MINHA QUERIDA DAMA é seu filme de estreia na direção. Auspiciosa estreia.

O filme é ótimo de se ver. Recomenda-se MINHA QUERIDA DAMA por todos os motivos.

Viager” or “Life Estate” is an institute of European law whereby the ownership of a real estate property is linked until death to a person called “life tenant” or “perpetual tenant”. It is almost like the “usufruto” of Brazilian law. There is an owner of the property and those who use it until the end of life. The film MY OLD LADY, by Israel Horovitz tells the story of an American musician who inherits from his father a beautiful house in Paris and, broken, goes to the City of Light, with the intention of selling the house and making money. Upon arriving there, he encounters a lady over 90 years old (she lies about her age) who lives in the property with her daughter, in the “viager” system. The film is on display (under rent) on Amazon Prime Video.

Initially, their relationship is as stormy as that of the son and the absent father. Things get worse when he finds out that the old lady had been his father’s lover for over forty years. These are the best comic moments in the film. The verbal duels of the American and the two French women are especially funny.

The film drifts into a heavy drama, where the coldness of the relationship between the abandoned son and his father comes to the fore (alcoholism and suicide attempts), the death of his mother, the absence of a father figure in his life and the traumatic consequences of everything this.

The central trio of actors is nothing short of superb: Dame Maggie Smith (Mathilde Girard) is a perfect French lady (although the actress is English to the roots of her hair). Smith is notable, here as in other works such as CALIFORNIA SUITE and The Prime of Miss Jean Brodie (who gave her two Oscars for Best Actress), GOSSFORD PARK, DOWNTON ABBEY, among many others.

Dame Kristin Scott Thomas (Chloé Girard) is another wonderful actress. Beautiful, alive, talented, illuminates the scene with each appearance. Oscar nominated for her work on THE ENGLISH PATIENT, she seems to represent each new work better. His Chloé is aggressive, introspective, curious, passionate, suppressed and fascinating.

Kevin Kline is one of the best American actors today. He won an Oscar for his extraordinary role in A FISH CALLED WANDA. He has done countless high-level works in great films such as SILVERADO, THE BIG CHILL and IN AND OUT.

A trio of this high category holds the film with mastery and sensitivity, arresting the highly interested viewer until the end. And the landscapes of Paris, added to certain very funny situations resulting from the script, raise MY OLD LADY to a great level.

American director and screenwriter Israel Horovitz is responsible for more than 50 successful plays, including ones with Al Pacino, Diane Keaton, Jill Clayburgh and Jason Robards. MY OLD LADY is his debut film in the direction. Auspicious debut.

The film is great to watch. MY OLD LADY is recommended for all the reasons.

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.