MOSCOU CONTRA 007: James Bond no Auge da Guerra Fria em um dos Melhores Filmes da Franquia

Rever pela milésima vez os filmes de 007 sempre vale a pena. Em tempos de isolamento social, então, é difícil ter outro programa melhor. O segundo filme de James Bond (seguindo o sucesso de O SATÂNICO DR. NO) foi MOSCOU CONTRA 007, dirigido por Terence Young em 1963, no auge da Guerra Fria.

Ver outra vez o filme, 57 anos depois, impressiona pela excelência de sua realização. A história é dinâmica, criativa e faz com que a ação seja ininterrupta.

Atrás de uma máquina que decifra códigos, a LEKTOR, James Bond é enviado pelo Governo inglês para ir a Istambul, onde uma secretária da Embaixada Soviética se propõe a desertar e trazer a ambicionada máquina.

É notável a quantidade de coisas boas que o filme tem. Sean Connery (outra vez como James Bond, para muitos o melhor 007), Daniela Bianchi (atriz italiana vivendo a russa Tatiana Romanova), Robert Shaw (ótimo ator de TUBARÃO, aqui em início de carreira fazendo um assassino russo), Pedro Armendáriz (notável e premiado ator mexicano da década de 60 em seu último trabalho), os famosos gadgets de 007 pela primeira vez entregues por Q (Desmond Llewelyn), a briga de mulheres no acampamento cigano(Martine Beswick e Aliza Gur), o relacionamento ambíguo entre a bondgirl e sua mentora, a espetacular atriz austríaca Lotte Lenya como a terrível Rosa Klebb, Bernard Lee (M) e Louis Maxwell (Monneypenny) …

Ah, ainda tinha a música clássica FROM RUSSIA WITH LOVE, de John Barry cantada por Matt Monro e a volta do inesquecível tema de James Bond, criado por Monthy Norman. E uma das melhores sequências de créditos de 007, criada por Robert Browjohn com os créditos sendo exibidos sobre o corpo nu de uma mulher.

Claro que hoje fica difícil entender o clima de Guerra Fria, em seu auge no ano de 1963. Os comunistas vermelhos eram a maior ameaça ao mundo livre. Nada que um vírus hoje não evidencie ser meio ingênuo.

MOSCOU CONTRA 007 é um dos melhores filmes de James Bond. para muitos, o melhor.

Reviewing 007 films for the thousandth time is always worthwhile. In times of social isolation, then, it is difficult to have another better program. The second James Bond film (following the success of DR. NO) was FROM RUSSIA WITH LOVE, directed by Terence Young in 1963, at the height of the Cold War.

Seeing the film again, 57 years later, impresses with the excellence of its realization. The story is dynamic, creative and makes the action uninterrupted.

Behind a machine that decodes codes, LEKTOR, James Bond is sent by the English Government to go to Istanbul, where a secretary of the Soviet Embassy proposes to desert and bring the coveted machine.

The amount of good things the film has is remarkable. Sean Connery (again as James Bond, for many the best 007), Daniela Bianchi (Italian actress living in Russian Tatiana Romanova), Robert Shaw (great JAWS actor, here at the beginning of his career making a Russian killer), Pedro Armendáriz (notable and award-winning Mexican actor from the 60s in his last work), the famous 007 gadgets for the first time given by Q (Desmond Llewelyn), the fight of women in the gypsy camp (Martine Beswick and Aliza Gur), the ambiguous relationship between the bondgirl and her mentor, the spectacular Austrian actress Lotte Lenya as the terrible Rosa Klebb , Bernard Lee (M) e Louis Maxwell (Moneypenny)…

Ah, there was still classic music FROM RUSSIA WITH LOVE, by John Barry sung by Matt Monro and the return of the unforgettable James Bond theme, created by Monthy Norman. And one of the best sequences of credits from 007, created by Robert Browjohn with the credits being displayed on the naked body of a woman.

Of course, today it is difficult to understand the climate of the Cold War, at its peak in 1963. The red communists were the greatest threat to the free world. Nothing that a virus today does not show to be a bit naive.

FROM RUSSIA WITH LOVE is one of the best James Bond films. for many, the best.

One Reply to “MOSCOU CONTRA 007: James Bond no Auge da Guerra Fria em um dos Melhores Filmes da Franquia”

  1. Tenho lido este blog diariamente e gosto muito das críticas de cinema e dos textos sobre atores e atrizes famosos. Por haver uma versao em inglês para cada texto, já compartilhei o link com todos os meus alunos: uma ótima oportunidade para aprenderem movie vocabulary e se deliciarem com as sugestões!!!
    Natércia Piva

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.