EU, MINHA MULHER E MINHA MULHER MORTA: Argentina/Espanha Fazem Mais um Ótimo Filme

YO, MY MUJER Y MY MUJER MUERTA é uma ótima comédia dramática co-produzida por Argentina e Espanha, dirigida por Santi Amodeo, cineasta nascido na Andaluzia. Um famoso (e tradicional) arquiteto portenho perde sua esposa de forma inesperada. Ao se deparar com o conflito entre fazer a cremação do corpo (como ele várias vezes manifestara ser seu desejo) ou enterrá-la, passa a conhecer uma vida paralela da falecida, onde aparecem visitas a um resort de nudismo, um romance paralelo, cartas à irmã com críticas a postura quadrada dele e muitas outras revelações. O filme está disponível na Apple TV+, Amazon Prime Video e Google Play.

O excelente ator argentino Oscar Martínez (RELATOS SELVAGENS e CIDADÃO ILUSTRE) faz o protagonista Arquiteto Bernardo, em mais uma interpretação maravilhosa. A alternância entre surpresa, decepção, tristeza e fascínio por sua ex-esposa é magnificamente demonstrada por Martínez, um intérprete no auge de sua forma.

A ótima atriz sueca Ingrid García Jonsson, Carlos Areces (incrível como o corretor de imóveis que fica o tempo todo tentando empurrar uma venda), Carolina Bassecourt, Cris Nollet e Melana Solda fazem o elenco.

O roteiro do próprio Santi Amodeo e Rafael Cobos é pródigo em explorar os conflitos entre a vida libertária que a falecida levava (ou queria levar), como o nudismo, o grupo de terapia, as amizades diversificadas, o namorado eventual e a sisudez e infelicidade da vida de seu marido, cinza, quadrada e cheia de preconceitos e certezas (falsas).

Na melhor tradição do moderno cinema argentino, YO, MY MUJER Y MY MUJER MUERTA é um ótimo filme. Emocionante, profundo, engraçado e cheio de reflexões sobre a vida que vale a pena ser vivida.

Não se podia pedir mais.

YO, MY MUJER Y MY MUJER MUERTA (ME, MYSELF AND MY DEAD WIFE) is another excellent dramatic comedy co-produced by Argentina and Spain, directed by Santi Amodeo, a filmmaker born in Andalusia. A famous (and traditional) Buenos Aires architect unexpectedly loses his wife. When faced with the conflict between cremation of the body (as she repeatedly expressed as last desire) or burying her, he came to know a parallel life of the deceased, where visits to a nudist resort, a parallel romance, letters to his sister with criticism for his sad life and many other revelations. The film is available on Apple TV +, Amazon Prime Video and Google Play.

The excellent Argentine actor Oscar Martínez (WILD TALES and THE DISTINGUISHED CITIZEN) makes the protagonist Architect Bernardo, in another wonderful interpretation. The alternation between surprise, disappointment, sadness and fascination with his ex-wife is magnificently demonstrated by Martínez, an interpreter at the height of his form.

The great Swedish actress Ingrid García Jonsson, Carlos Areces (incredible as the realtor who keeps trying to push a sale), Carolina Bassecourt, Cris Nollet and Melana Solda make the cast.

The script by Santi Amodeo and Rafael Cobos is lavish in exploring the conflicts between the libertarian life that the deceased led (or wanted to lead), such as nudism, the therapy group, diversified friendships, the eventual boyfriend and the grimness and unhappiness in her husband’s life, gray, square and full of prejudices and (false) certainties.

In the best tradition of modern Argentine cinema, YO, MY MUJER Y MY MUJER MUERTA is a great film. Exciting, profound, funny and full of reflections on the life that is worth living.

You couldn’t ask for more.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.