AMIGOS DOS PESCADORES: Simples, Humano e Muito Comovente Sem Abrir Mão do Humor Inglês.

O recente cinema britânico tem feito vários filmes ótimos no gênero da comédia romântica focada em temas relevantes como preconceito, inclusão e coragem de viver. PRIDE, de Matthew Warchus é apenas um dos exemplos. Ontem vi no Amazon Prime Video, FISHERMAN’S FRIENDS, uma comédia romântica maravilhosa sobre um grupo de pescadores da Cornuália que cultiva a tradição de cantar velhas canções de marinheiros com fins beneficentes e que é descoberto por um empresário londrino da área de entretenimento. P filme anuncia que é baseado em um caso real e inclusive no final mostra fotos do grupo na vida real.

O filme tem vários aspectos encantadores. O confronto entre o cinismo da vida moderna (de grifes, hipervalorização do dinheiro, preconceito) e a simplicidade, pureza e autenticidade da vida daqueles pescadores da Cornuália que prezam suas tradições e sentimentos.

O espectador imediatamente fica fascinado pela autenticidade daquela pequena cidade Cornish, onde forasteiros não são bem vindos, mas onde as pessoas não hesitam em sacrificar a vida para proteger que está ameaçado, hospedam estranhos e se abrem sem reservas de sentimentos e emoções.

O protagonista é o ótimo ator inglês Daniel Mays (TINTIM e ROGUE ONE), um protótipo do anti-herói que, a partir de um trote de seus arrogantes colegas de empresa, entra em contato com os pescadores cantores, um time de pessoas ao mesmo tempo comuns e extraordinárias, vivido por James Purefoy (seu melhor trabalho), David Hayman (incrível), Dave Johns e Sam Swainsbury. A parte feminina do elenco tem a ótima Tuppence Middleton (O JOGO DA IMITAÇÃO e A GUERRA DAS CORRENTES), linda e cativante como Alwyn e a veterana Maggie Steed, como Maggie.

Amizade, confiança, fidelidade, valores, tradições são os elementos daquela comunidade que se chocam ao entrar em contato coma ganância da visão de negócios londrina.

O melhor é que este conflito grave e contundente é narrado com extremo bom humor, mostrando situações cômicas incríveis que pontuam os muitos momentos emocionantes e humanos do filme do cineasta Chris Foggin, um inglês que fazia curta metragens e era diretor de segundas unidades em filmes importantes, aqui fazendo seu segundo longa. Com maestria.

FISHERMAN’S FRIENDS é mais uma comédia romântica britânica que deve ser vista.

Recent British cinema has made several great films in the romantic comedy genre focused on relevant themes such as prejudice, inclusion and courage to live. Matthew Warchus‘s PRIDE is just one example. Yesterday I saw on Amazon Prime Video, FISHERMAN’S FRIENDS, a wonderful romantic comedy about a group of fishermen from Cornwall that cultivates the tradition of singing old sailor songs for charitable purposes and that is discovered by a London entertainment entrepreneur. The film announces that it is based on a real case and even (at the end) shows photos of the group in real life.

The film has several charming aspects. The confrontation between the cynicism of modern life (of brands, hypervaluation of money, prejudice) and the simplicity, purity and authenticity of the lives of those fishermen from Cornwall who value their traditions and feelings.

The viewer is immediately fascinated by the authenticity of that small Cornish town, where outsiders are not welcome, but where people do not hesitate to sacrifice their lives to protect who is threatened, they host strangers and open themselves without reservations of feelings and emotions.

The protagonist is the great English actor Daniel Mays (TINTIN and ROGUE ONE), a prototype of the anti-hero who, through a hoax by his arrogant company colleagues, gets in touch with the singing fishermen, a team of people at the same time ordinary and extraordinary, lived by James Purefoy (his best work), David Hayman (incredible), Dave Johns and Sam Swainsbury. The female part of the cast has the great Tuppence Middleton (THE IMITATION GAME and THE CURRENT WAR), beautiful and captivating like Alwyn and veteran Maggie Steed, like Maggie.

Friendship, trust, loyalty, values, traditions are the elements of that community that are shocked when they come into contact with the greed of London’s business vision.

The best part is that this serious and blunt conflict is narrated with extreme good humor, showing incredible comic situations that punctuate the many emotional and human moments of the film by filmmaker Chris Foggin, an Englishman who made short films and was director of second units in important films , here making his second feature. With mastery.

FISHERMAN’S FRIENDS is yet another British romantic comedy that must be seen.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.