NUNCA DEIXE DE LEMBRAR: Diretor de A VIDA DOS OUTROS Faz Outro Filme Impressionante e Muito Competente

Anos atrás, o filme A VIDA DOS OUTROS, produção germano-francesa dirigida pelo cineasta alemão Florian Henckel von Donnersmarck encantou o mundo e ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. É um filme excepcional.

Por isto, ontem ao me deparar na Amazon Prime com um novo trabalho de Donnersmarck, intitulado NUNCA DEIXE DE LEMBRAR (NEVER LOOK AWAY), fui correndo ver, mesmo assustado pela duração do filme, 3h9min. Valeu cada segundo. O filme é poderoso e tem imagens belísssimas.

A história conta a vida de um jovem alemão, desde cedo decidido a ser um pintor que atravessa décadas de governos totalitários, incialmente na ascensão do nazismo, depois no período soviético de dominação da Alemanha pós-guerra.

O filme inicia com o menino Kurt Barnet (Cai Cohrs super expressivo) sendo levado a uma exposição de arte no início do regime nazista por sua tia Elizabeth (a bela e talentosa atriz alemã Saskia Rosenthal). O discurso do funcionária sobre arte (na visão nazista) é de uma atualidade assustadora. O destino de Elizabeth – que mobiliza a parte inicial do filme – é de uma desumanidade e crueldade somente igualada pela tristeza poderosa das cenas de Donnesmarck.

Aqui surge o primeiro tema do filme: a obsessão nazista pela eugenia e as pessoas fisicamente perfeitas. É assustador o discurso e, mais ainda, a prática. A raça perfeita ariana é um conceito que briga com a ideia de humanidade.

O segundo trecho do filme vai se focar no médico responsável pelo destino de Elizabeth e titulas do programa de purificação da raça, o Professor Carl Seeband, extraordinário trabalho do ator Sebastian Koch (a vítima em A VIDA DOS OUTROS). Preso pelos soviéticos que libertaram Berlim, ele tem um golpe de sorte, ao salvar a vida da filha do chefe militar responsável por sua prisão. Passa a usufruir uma insuspeitada proteção de parte do comando soviético.

Finalmente, há o belo romance entre o protagonista já adulto (Tom Schilling, ótimo) e a filha do Professor Doutor Carl Seeband, a bela Elizabeth Seeband (Paula Beer, maravilhosa). Esta parte do filme harmoniza a discussão da arte (e seu papel em relação à liberdade), do amor e do peso do passado na vida das pessoas.

O roteiro – igualmente escrito por Florian Henckel von Donnersmarck – é cheio de situações, diálogos e cenas maravilhosas, tanto na beleza de sua concepção visual como na profundidade de sua abordagens.

Isto coloca NEVER LOOK AWAY (título original que também tem a acepção de NÃO DEIXE DE OLHAR como combate à omissão) em um patamar superior. Florian Henckel von Donnersmarck faz seu segundo filme maravilhoso. É mais um cineasta alemão de grande talento que merece muito ser seguido.

Years ago, the film THE LIVES OF OTHERS (Das Leben der Anderen), a German-French production directed by German filmmaker Florian Henckel von Donnersmarck, enchanted the world and won the Oscar for Best Foreign Film. It is an exceptional film.

For this reason, yesterday when I came across a new work by Donnersmarck, entitled NEVER LOOK AWAY(Werk ohne Autor), I went to see it, even scared by the length of the film, 3h9min. It was worth every second. The film is powerful and has astonishing beautiful images.

The story tells the life of a young German, determined early on to be a painter, who has gone through decades of totalitarian governments, initially in the rise of Nazism, then in the Soviet period of domination of postwar Germany.

The film starts with the boy Kurt Barnet (super expressive Cai Cohrs) being taken to an art exhibition at the beginning of the Nazi regime by his aunt Elizabeth (the beautiful and talented German actress Saskia Rosenthal). The employee’s speech about art (in the Nazi view) is scary even today. Elizabeth’s fate – which mobilizes the opening part of the film – is an inhumanity and cruelty one, only matched by the powerful sadness of Donnesmarck’s scenes.

Here comes the first theme of the film: the Nazi obsession with eugenics and the physically perfect people. The speech and, even more, the practice are frightening. The perfect Aryan race is a concept that struggles with the idea of ​​humanity.

The second part of the film will focus on the doctor responsible for Elizabeth’s fate and titles for the race purification program, Professor Carl Seeband, extraordinary work by actor Sebastian Koch (the victim in THE LIVES OF OTHERS). Arrested by the Soviets who liberated Berlin, he has a stroke of luck in saving the life of the daughter of the military chief responsible for his arrest. It starts to enjoy an unsuspected protection from part of the Soviet command.

Finally, there is the beautiful romance between the protagonist as an adult (Tom Schilling, great) and the daughter of Professor Doctor Carl Seeband, the beautiful Elizabeth Seeband (Paula Beer, wonderful). This part of the film harmonizes the discussion of art (and its role in relation to freedom), of love and the weight of the past in people’s lives.

The script – also written by Florian Henckel von Donnersmarck – is full of wonderful situations, dialogues and scenes, both in the beauty of his visual conception and in the depth of his approaches.

This puts NEVER LOOK AWAY (original title that also has the meaning of DO NOT STOP LOOKING as a fight against omission) at a higher level. Florian Henckel von Donnersmarck makes his second wonderful film. He is yet another highly talented German filmmaker who deserves to be followed.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.