CONTRA-ATAQUE: Thriller com Bruce Willis Tem Boas Cenas de Ação

A carreira cinematográfica de Bruce Willis está em uma fase ruim. Dos seus últimos trabalhos, pelo menos dois são muito ruins: a refilmagem de DESEJO DE MATAR e o thriller CENTRO DE TRAUMA são ruins demais. Incrível que um ator como ele se submeta a roteiros tão ruins. Os personagens dele são rasos e estereotipados, uma espécie de paródias mal feitas dele mesmo.

Com esperança de que ele ainda não tenha se tornado um segundo Nicolas Cage (que depois de ótimos filmes degringolou a carreira com uma sequencia de incríveis 15 filmes péssimos), fui ver no NOW o thriller CONTRA-ATAQUE (REPRISAL) que ele fez em 2018. Apesar de ser bem mais ou menos, REPRISAL pelo menos tem alguns elementos de interesse. O filme narra a história de um gerente de banco da cidade de Cincinatti, Ohio que vê a agência onde trabalha ser assaltada por um experiente ex-militar armado até os dentes e sem qualquer problema em matar.

Quando identifica como achar o criminoso, ajudado por um policial aposentado que é seu vizinho (Bruce Willis), Jacob (Frank Grillo, um dos astros da moda, desde que viveu o pintos de BILLIONS) vê a oportunidade de prender o culpado e ganhar a recompensa do FBI, o que solucionaria os problemas financeiros de sua família. A esposa de Jacob é a linda Olivia Culpo (Miss USA 2012, uma das modelos da Sports Illustrated e hoje uma fashion influencer).

REPRISAL tem ótimas cenas de ação, com tiroteios pelas ruas de Cincinatti, especialmente quando o vilão Gabriel (Johnathon Schaech) sequestra a família do protagonista, pondo em risco a filha diabética dele.

Nasa mais que uma average thriller, REPRISAL distrai por 89 minutos, em face de suas cenas de ação. Ser curto é uma qualidade de um filme assim.

Bruce Willis‘ film career is in a bad phase. Of his last works, at least two are very bad: the remake of DEATH WISH and the thriller TRAUMA CENTER are too bad. Incredible that an actor like him submits to such bad scripts. His characters are shallow and stereotyped, a kind of poorly made parodies of himself.

Hoping that he still hasn’t become a second Nicolas Cage (who after great films broke his career with a sequence of incredible 15 terrible films), I went to see NOW the thriller REPRISAL that Willis made in 2018. Despite being more or less, REPRISAL at least has some elements of interest. The film tells the story of a bank manager in the city of Cincinatti, Ohio who sees the agency where he works being robbed by an experienced ex-military man highly armed and without any problem in killing.

When he identifies how to find the criminal, helped by a retired policeman who is his neighbor (Bruce Willis), Jacob (Frank Grillo, one of the rising stars, since he lived the BILLIONS artist) sees the opportunity to arrest the culprit and win the FBI reward, which would solve his family’s financial problems. Jacob’s wife is the beautiful Olivia Culpo (Miss USA 2012, one of Sports Illustrated’s models and today a fashion influencer).

REPRISAL has great action scenes, with shootings through the streets of Cincinatti, especially when the villain Gabriel (Johnathon Schaech) kidnaps the protagonist’s family, putting his diabetic daughter at risk.

More than an average thriller, REPRISAL distracts for 89 minutes, in the face of its action scenes. Being short is a quality of a film like that.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.