O HOMEM QUE AMAVA AS MULHERES: Um Truffaut Mais Engraçado (até Certo Ponto)

Em 1977, o magistral cineasta francês François Truffaut lançou um filme que fugia um pouco ao usual dramatismo de suas obras. O HOMEM QUE AMAVA AS MULHERES, em que narra o final da vida do personagem Bertrand Morane (interpretação icônica do ator Charles Denner) um homem que teve inúmeros envolvimentos amorosos com mulheres dos tipos mais diversificados.

O roteiro de Michel Fermaud, da colaboradora habitual de Truffaut, Suzanne Schiffman e do próprio cineasta mescla um tom de comédia (meio inevitável pelo non sense da situação) com a dramaticidade da existência de alguém que amou muito mas terminou sozinho.

No elenco, um verdadeiro desfile de atrizes francesas, como Brigitte Fossey, Leslie Caron, Nathalie Baye, Sabine Glaser, Nella Barbier e Valerie Bonier.

Lembro de ter gostado muito de THE MAN WHO LOVED WOMEN. A cena do funeral do protagonista em que dezenas de ex-amadas se olham, enfrentam e choram juntas é inesquecível.

Charles Denner (papel essencial na obra prima de Costa Gavras, Z) era um ótimo ator e este papel parece ter lhe caído com perfeição. Como se sabe, Truffaut era um excelente diretor de atores. Son sua batuta Denner esteve excepcional.

Anos depois, o filme teve uma refilmagem americana, com Burt Reynolds no papel principal. Desnecessário dizer que não dava nem para a saída. Truffaut era muito especial.

In 1977, the masterful French filmmaker François Truffaut released a film that was a little out of the usual drama of his works. THE MAN WHO LOVED WOMEN, in which he narrates the end of the life of the character Bertrand Morane (iconic interpretation of the actor Charles Denner) a man who has had numerous love affairs with women of the most diverse types.

The script by Michel Fermaud, Truffaut’s usual collaborator, Suzanne Schiffman and the filmmaker himself mixes a tone of comedy (somewhat inevitable due to the non sense of the situation) with the drama of the existence of someone who loved very much but ended up alone.

In the cast, a true parade of French actresses, such as Brigitte Fossey, Leslie Caron, Nathalie Baye, Sabine Glaser, Nella Barbier and Valerie Bonier.

I remember I really liked THE MAN WHO LOVED WOMEN. The scene of the protagonist’s funeral in which dozens of ex-loved ones look at each other, face each other and cry together is unforgettable.

Charles Denner (an essential role in Costa Gavras‘ masterpiece, Z) was a great actor and this character seems to have perfectly suited him. As we all know, Truffaut was an excellent actor director. His Denner baton was exceptional.

Years later, the film had an American remake, with Burt Reynolds in the lead role. Needless to say, there was no way out. Truffaut was very special.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.