WOMAN ON THE EDGE: Dez Coisas Para Fazer um Filme Ruim

A filha de Demi Moore e Bruce Willis, Rumer Willis fez em 2018 um thriller sobre uma jornalista investigativa que vai atrás dos motivos que levaram sua irmã gêmea ao suicídio. Termina descobrindo uma trama que leva os pacientes de um famoso psiquiatra que tem um programa ao estilo DR. PHILL na TV à morte.

O filme abusou de ser ruim. É um verdadeiro tratado sobre o que evitar em um filme.

O roteiro é inacreditável pela sua ruindade. Personagens e diálogos dificilmente poderiam ser piores.

Rumer Willis é grandalhona, sem graça e tenta fazer charme sem qualquer sucesso.

O vilão é dos maiores canastrões que já vi na tela.

Só para exemplificar, há uma cena em que vai acontecer um jantar romântico entre a mocinha e um pretendente. Ele a convida para ir à casa dele. Apenas não diz que mora no prédio onde a irmã dela se matou. Dá para acreditar?

The daughter of Demi Moore and Bruce Willis, Rumer Willis made in 2018 a thriller about an investigative journalist who goes after the reasons that led her twin sister to suicide. He ends up discovering a plot that leads to death patients from a famous psychiatrist who has a DR PHILL style show on TV.

The film abused to be bad. It is a true guide about what not to do in movies.

The script is unbelievable for its badness. Characters and dialogues could hardly be worse.

Rumer Willis is big, dull and tries to charm without any success.

The villain is one of the biggest flops I’ve ever seen on the screen.

Just to exemplify, there is a scene in which a romantic dinner will take place between the girl and a suitor. He invites her to his house. He just doesn’t say he lives in the building where her sister killed herself. Can you believe it?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.