OS MELHORES FILMES DE 2020: VISTOS AQUI E ALI

O CINEMARCO PEDIU A VÁRIOS CINÉFILOS AMIGOS SUA LISTA DE MELHORES DE 2020. A PRIMEIRA É DE ERON DUARTE FAGUNDES

Antigamente, que sabemos onde fica isto, ou este advérbio, costumávamos, nos fins das temporadas cinematográficas, fazer duas listas de destaques: uma lista falava dos filmes lançados nos cinemas comerciais, a segunda lista fazia constar filmes exibidos nos circuitos alternativos. Isto era bem antes dos dvds (fenômeno já arcaico), anos-luz antes do streaming. Nos tempos atuais, tentaculares, uma lista só basta: ela é difusa e busca o que se viu em formas variadas.

Os melhores filmes deste ano da peste de 2020 circulam pelo cinema e pelos suportes do streaming: sem apontar origens, isto já não interessa. Boa parte do ano os cinemas de Porto Alegre passaram fechados.

Meus melhores, por ordem de preferência:

  1. Sedução da carne, de Júlio Bressane
  2. O oficial e o espião, de Roman Polansky
  3. Fé corrompida, de Paul Schrader
  4. Os miseráveis, de Ladj Ly
  5. Os indesejados da Europa, de Fabrizio Ferraro
  6. Nunca raramente sempre às vezes, de Eliza Hittman
  7. Solness, o construtor, de Jonathan Demme
  8. Aeroporto central, de Karim Aïnouz
  9. Aos olhos de Ernesto, de Ana Luiza Azevedo
  10. Pacarrete, de Allan Deberton

Lembrando que hoje, por motivos variados, perco muitos lançamentos que antigamente (e todos sabemos onde ficam estes tempos antigos) eu não perdia. Assim, podem não constar aí muitos filmes das preferências de meus amigos cinéfilos: resta saber se eu os vi e não os achei merecedor da breve lista ou se, pelos motivos variados, não os vi mesmo.

CINEMARCO ASKED VARIOUS FRIENDLY CINEPHILES FOR THEIR LIST OF BEST MOVIES OF 2020. THE FIRST ONE IS BY ERON DUARTE FAGUNDES

In the past, that we know where this or this adverb is located, we used, at the end of the cinematographic seasons, to make two lists of highlights: one list spoke of films released in commercial cinemas, the second list included films shown on alternative circuits. This was well before dvds (already archaic phenomenon), light years before streaming. In today’s tentative times, one list is enough: it is diffuse and seeks what has been seen in different ways.

The best films of this year of the plague of 2020 circulate through cinema and streaming media: without pointing out origins, this no longer matters. Most of the year the cinemas in Porto Alegre were closed.

My best, in order of preference:

Seduction of the flesh, by Júlio Bressane


J’ACCUSE, by Roman Polanski


FIRST REFORMED, by Paul Schrader


LES MISÉRABLES, by Ladj Ly


LES UNWANTED DE EUROPA, by Fabrizio Ferraro


NEVER RARELY SOMETIMES ALWAYS, by Eliza Hittman


A MASTER BUILDER, by Jonathan Demme


CENTRAL AIRPORT THF, by Karim Aïnouz


IN THE EYES OF ERNESTO, by Ana Luiza Azevedo


PACARRETE, by Allan Deberton


Recalling that today, for various reasons, I miss many releases that in the past (and we all know where these ancient times are) I did not miss. Thus, there may not be many films of the preferences of my cinephile friends there: it remains to be seen whether I saw them and did not find them worthy of the brief list or if, for various reasons, I did not see them at all.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.