EXCALIBUR: 40 anos do Lançamento do Grande Filme de Boorman

Em 1981, o cineasta inglês John Boorman reuniu um elenco extraordinário para filmar EXCALIBUR, A ESPADA DO PODER, um filme maravilhoso sobre o Rei Arthur e a mitológica espada encantada.

Nigel Terry, Helen Mirren, Nicholas Clay, Nicol Williamson, Gabriel Byrne, Liam Neeson, Patrick Stewart e Ciarán Hinds formam um grupo espetacular de atores para viver os personagens.

EXCALIBUR é um filme incrível. Uma das jogadas criativas de Boorman é dar glamour ao visual de seu filme, o que foi possível pela incrível fotografia de Alex Thomson. É um filme de visual arrebatador.

A violência das lutas e de cada golpe de espada foi outro aspecto inovador do filme de Boorman.

O legendário crítico de cinema do THE NEW YORK TIMES, Vincent Canby escreveu sobre EXCALIBUR: “AS lendas arturianas não morrerão por um bom motivo. Eles são mitos essenciais. Ainda assim, alguns filmes feitos com eles são mais engraçados (” Monty Python e o Santo Graal ”) e mais estimulantes (” Lancelot of the Lake ” de Robert Bresson e ” Perceval ” de Eric Rohmer) do que outros, incluindo a tola versão do musical ” Camelot ” e agora a grande, solene e grandiosa ” Excalibur ” de John Boorman. O Sr. Boorman, o diretor inglês (” Deliverance ” ” Zardoz ”), é destemido. ” Excalibur ”, que estreia hoje no Beekman e em outros cinemas, é virtualmente um ciclo de um filme. Ciclo que parece 10 vezes mais longo que o trabalho de Wagner. Ele cobre praticamente toda a história do Rei Arthur, desde sua concepção (um truque) e seu nascimento, através da ascensão e queda de Camelot, até os últimos dias amargos dos cavaleiros da Távola Redonda em sua busca pelo Santo Graal. … O mais interessante sobre ” Excalibur ” é a forma como lembra um ” Guerra nas Estrelas ” de George Lucas, que, claro, usou vários personagens e confrontos das lendas. No seu melhor, ” Excalibur ” é ” Star Wars ” sem o humor redentor de seu estilo de quadrinhos e efeitos especiais de arregalar os olhos.”

Lembro muito bem quando vi pela primeira vez EXCALIBUR. Saí em transe do cinema. Apesar de já ter assistido inúmeros filmes sobre o Rei Arthur, Merlin e a Excalibur, nunca tinha visto algo visualmente tão criativo e contundente.

EXCALIBUR é um filme apaixonante. 40 anos depois.

In 1981, English filmmaker John Boorman assembled an extraordinary cast to film EXCALIBUR, a wonderful film about King Arthur and the mythical enchanted sword.

Nigel Terry, Helen Mirren, Nicholas Clay, Nicol Williamson, Gabriel Byrne, Liam Neeson, Patrick Stewart and Ciarán Hinds form a spectacular group of actors to live the characters.

EXCALIBUR is an incredible film. One of Boorman’s creative moves is to add glamor to the look of his film, which was made possible by Alex Thomson’s incredible photography. It is an eye-catching film.

The violence of the fights and of each sword stroke was another innovative aspect of Boorman’s film.

THE NEW YORK TIMES legendary film critic Vincent Canby wrote of EXCALIBUR: “THE Arthurian legends will not die for good reason. They are essential myths. Yet some films made of them are funnier (”Monty Python and the Holy Grail”) and more stimulating (Robert Bresson’s ”Lancelot of the Lake” and Eric Rohmer’s ”Perceval”) than others, including the foolish screen version of the musical ”Camelot” and now John Boorman’s big, solemn, grandiose ”Excalibur.” Mr. Boorman, the English director (”Deliverance,” ”Zardoz”), is dauntless. ”Excalibur,” which opens today at the Beekman and other theaters, is virtually a one-film ”Ring” cycle that seems 10 times as long as the Wagner work. It covers virtually the entire history of King Arthur, from his conception (in trickery) and his birth, through the rise and fall of Camelot, to the last bitter days of the Round Table knights in their search for the Holy Grail. The most interesting thing about ”Excalibur” is the way in which it reminds one of George Lucas’s ”Star Wars,” which, of course, helped itself freely to various characters and confrontations from the legends. At its earnest best, ”Excalibur” is ”Star Wars” without the redeeming humor of its comic-book style and eye-popping special effects.”

I remember it very well when I first saw EXCALIBUR. I left the cinema in a trance. Despite having watched countless films about King Arthur, Merlin and Excalibur, I had never seen anything so visually creative and blunt.

EXCALIBUR is a passionate film. 40 years later.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.