DEBRIS: Nova Série Mistura Arquivo X e Fringe e Inicia Intrigante

Eu faço ideia da dificuldade dos roteiristas em imaginar um enredo novo para um filme ou uma série, tamanha a multiplicidade de produções de todas as origens que a explosão dos serviços de streaming está trazendo a cada mês.

DEBRIS, a nova série de ficção científica da NBC, tem o mérito de ter conseguido um ponto de partida bem original. Os destroços de uma espaçonave iniciam a cair sobre a Terra e cada pedaço mostra propriedades misteriosas e desconhecidas, a ponto de se criar um mercado para mercenários que investigam, roubam ou pagam caro estes pedaços da nave.

Dois agentes – um da CIA e outro do MI-6 – se unem para comandar uma força tarefa encarregada de monitorar a queda dos “debris” e tentar chegar lá antes dos outros interessados de propósitos menos científicos.

A questão é que cada pedaço parece ter efeitos diversos, tornando a tarefa cada vez mais perigosa.

Foi um belo ponto de partida. O piloto – que não perde tempo em introduções e sai firme na ação – foi sempre intrigante e desafiador. Prendeu como poucos a atenção do espectador.

No elenco o americano Jonathan Tucker (bela lembrança do ótimo SLEEPERS) e a atriz Riann Steele fazem a dupla (sempre) que trabalha junta mas cada um com sua agenda e suas ordens emanadas de chefes nem tão colaborativos.

O clima de mistério – acentuado pela música “eerie” permanente – lembra muito ARQUIVO X e um pouco a ótima FRINGE.

Não sei se DEBRIS vai ser sucesso ou se vai longe. Mas que vou ver o segundo capítulo, isto é certo.

I have an idea of ​​the difficulty of the writers in imagining a new plot for a film or series, such a multiplicity of productions of all origins that the explosion of streaming services is bringing each month.

DEBRIS, NBC’s new science fiction series, has the merit of having achieved a very original starting point. The wreckage of a spaceship begins to fall on Earth and each piece shows mysterious and unknown properties, to the point of creating a market for mercenaries who investigate, steal or pay dearly for these pieces of the ship.

Two agents – one from the CIA and the other from the MI-6 – come together to command a task force charged with monitoring the fall of the “debris” and trying to get there before other interested parties with less scientific purposes.

The point is that each piece seems to have different effects, making the task more and more dangerous.

It was a beautiful starting point. The pilot – who wastes no time in introductions and comes out in action – was always intriguing and challenging. It caught the viewer’s attention like few others.

In the cast, the American Jonathan Tucker (beautiful memory of the great SLEEPERS) and the actress Riann Steele make the duo (always) who work together but each with their agenda and their orders emanated from bosses not so collaborative.

The atmosphere of mystery – accentuated by the permanent “eerie” music – is very reminiscent of THE X FILES and a little bit of the great FRINGE.

I don’t know if DEBRIS will be successful or if it will go far. But that I will see the second chapter, this is for sure.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.