CHERRY – INOCÊNCIA PERDIDA: Temas Demais Para um Filme Só

CHERRY, superlançamento da Apple TV+ neste final de semana, estrelado por Tom Holland (o jovem Spiderman da MARVEL) conta uma longa história sobre um jovem americano que passa pela vida experimentando tudo o que pode, nem sempre (ou raramente) com bons resultados.

Os irmãos Russo (Anthony e Joe), diretores da MARVEL responsáveis por CAPITÃO AMÉRICA e VINGADORES resolveram dar uma guinada e mergulhar num drama existencial profundo sobre vida, guerra, drogas, PTSD, amores e desamores, auto destruição e assaltos a bancos.

Achei tema demais para um só filme.

O trabalho muito bom do jovem Tom Holland e sua parceira Clara Bravo até seguram a onda, mostrando de forma impressionante a degradação de jovens pelo uso permanente de todo tipo de drogas.

As cenas de guerra são muito bem feitas. Das melhores dos últimos anos. Lembram muito cenas de NASCIDO PARA MATAR, pela excelência de sua realização, tensão extrema em que colocam o espectador e brilhantismo nas filmagens.

No final de tudo, em suas 2 horas e 22 minutos, CHERRY ficou indigesto. Forte, bem feito, mas indigesto.

CHERRY, Apple TV + releasing this weekend, starring Tom Holland (the young Spiderman from MARVEL) tells a long story about a young American who goes through life experiencing everything he can, not always (or rarely) with good results.

The Russo brothers (Anthony and Joe), directors of MARVEL responsible for CAPTAIN AMERICA and AVENGERS decided to take a turn and immerse themselves in a deep existential drama about life, war, drugs, PTSD, love and dismay, self destruction and bank robberies .

I found too much theme for one film.

The very good work of young Tom Holland and his partner Clara Bravo shows in an impressive way the degradation of young people by the permanent use of all kinds of drugs.

The war scenes are very well done. One of the best in recent years. They are very reminiscent of scenes from BORN TO KILL, due to the excellence of their realization, extreme tension in which they put the viewer and brilliance in the filming.

At the end of everything, in his 2 hours and 22 minutes, CHERRY was very indigestible. Strong, well done, but indigestible.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.