O SABOR DAS MARGARIDAS É AMARGO

O CONVIDADO DE HOJE DO CINEMARCO É O CINÉFILO MARCO AURÉLIO MORSCH. 

A Espanha tem produzido algumas miniseries para streaming de excelente qualidade, tais como “La Casa de Papel”, “O Sucessor” e “Toy Boy”. Outra boa série é “O Sabor das Margaridas” (2018) (El sabor de las margaridas), ou Bitter Daisies, de Ghaleb Jaber, Raquel Arias e Eligio Montero, com 6 episódios, na Netflix. 

Esta é uma complexa e convincente trama de assassinato e que prende a expectativa do expectador até o final com um engenhoso roteiro do tipo “quem foi?”, “o que aconteceu?”. Existem várias surpresas ao longo do caminho e o final é surpreendende, fazendo a jornada da protagonista uma viagem emocional com referências ao romance “O Inferno”, de Dante Aligheri. 

A história corre em ritmo lento, como se desenvolve a vida em Murias, cidade no interior da Galícia, perto de Santiago de Compostela onde todos se conhecem e um mistério traz a região a inicialmente impassível investigadora Rosa Vargas (María Mera) para investigar o desaparecimento de uma jovem. A medida que Vargas procura a adolescente, ela descobre que está diante de um serial killer e, para resolver o caso, ela se envolverá com jovens prostitutas, pedófilos, o clero local, ritos satânicos, empresários corruptos e uma escola onde a trama tem um sub plot menos interessante, e trabalhará numa delegacia de poucos recursos que se prepara para a chegada do Papa a região nos próximos 5 dias. 

A transformação de Vargas ao longo da jornada, marcada por referências ao clássico romance de Dante Aligheri, “O Inferno”, com a evolução cirúrgica e inteligente da investigação e a dramatização de Maria Mera que faz perfeitamente a transformação da vivência pessoal da personagem é o ponto alto desta minisérie, bem como o desfecho inesperado. O Cenário da Galicia medieval e as referências a Dante estão por toda parte e dão um toque trágico a trama, procurando incorporar significado num sentido mais amplo ao drama pessoal de Vargas e a questão da pedofilia, como sutilmente revelam as duas cenas finais,expressando que algumas coisas, afinal, são imutáveis.(abrindo caminho certamente para uma segunda temporada). 

“O Sabor das Margaridas” pode cansar alguns expectadores em vários momentos por seu ritmo lento e subplots irrelevantes (talvez pudesse ser reduzida a 4 episódios), mas ela certamente está acima da média das miniséries européias.

TODAY’S CINEMARCO GUEST IS CINÉFILO MARCO AURÉLIO MORSCH.

Spain has produced some excellent quality streaming miniseries, such as “La Casa de Papel”, “O Sucessor” and “Toy Boy”. Another good series is “O Sabor das Margaridas” (2018) (El gosto de las margaridas), or Bitter Daisies, by Ghaleb Jaber, Raquel Arias and Eligio Montero, with 6 episodes, on Netflix.

This is a complex and convincing murder plot that holds the viewer’s expectation to the end with an ingenious script like “who was it?”, “What happened?”. There are several surprises along the way and the ending is surprising, making the protagonist’s journey an emotional journey with references to the novel “O Inferno”, by Dante Aligheri.

History runs at a slow pace, as life develops in Murias, a city in the interior of Galicia, close to Santiago de Compostela where everyone knows each other and a mystery brings the region to the initially impassive investigator Rosa Vargas (María Mera) to investigate the disappearance of a young girl. As Vargas seeks out the teenager, she discovers that she is facing a serial killer and, to resolve the case, she will engage with young prostitutes, pedophiles, the local clergy, satanic rites, corrupt businessmen and a school where the plot has a sub plot less interesting, and will work in a police station with few resources that is preparing for the arrival of the Pope in the region in the next 5 days.

Vargas’ transformation along the journey, marked by references to Dante Aligheri’s classic novel, “O Inferno”, with the surgical and intelligent evolution of the investigation and the dramatization of Maria Mera that perfectly transforms the character’s personal experience is the high point of this miniseries, as well as the unexpected outcome. The Scenario of medieval Galicia and references to Dante are everywhere and give a tragic touch to the plot, seeking to incorporate meaning in a broader sense into Vargas’ personal drama and the question of pedophilia, as the final two scenes subtly reveal, expressing that some things, after all, are immutable. (certainly paving the way for a second season).

O Sabor das Margaridas” may tire some viewers at various times due to its slow pace and irrelevant subplots (perhaps it could be reduced to 4 episodes), but it is certainly above the average of European miniseries.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.