O Que o Cinema Tem Contra os Tubarões?

O site IMDB aponta que há mais de 180 filmes em que aparecem tubarões.

Há uma obra prima (JAWS, de Steven Spielberg), alguns razoáveis, como THE SHALLOWS e uma quantidade impressionante de filmes ruins (alguns impossíveis de ver), maltratando o maior predador dos mares.

A própria franquia JAWS tem outros três filmes bem ruinzinhos. Foi piorando de filme para filme.

O que dizer, então, destes mais apelativos, tipo SHARKNADO (com tubarões voadores), MEGA SHARK, TUBARÃO DE VÁRIAS CABEÇAS ou THE MEG, com um tubarão pré-histórico gigantesco que sai devorando pessoas, submarinos e barcos?

Mestre Spielberg pegou um ótimo roteiro (do livro de Peter Benchley), um elenco nota dez (Roy Scheider, Robert Shaw e Richard Dreyfuss) em com sua categoria habitual (embora à época do filme fosse apenas um iniciante) fez um filmaço, em que a gente fica sem respirar boa parte do filme.

A turma dos outros tubarões erra grosseiramente em vulgarizar as aparições do vilão do mares, exagerar na violência de pessoas dilaceradas e sangue em profusão e em utilizar roteiros normalmente péssimos e sem lógica alguma.

Por exemplo, nos filmes com tubarão passados em estações submarinas, é mais do que comum a cena em que a mocinha vai a uma parte isolada da estação fazer alguma coisa, apenas para se isolar dos demais para o tubarão atacá-la. Clichê mais do que manjado.

E as soluções finais dos filmes que quase inevitavelmente são uma explosão do bichano seja por que método for? São todas muito fracas e sem criatividade.

Tirando Bruce, o tubarão de Spielberg, acho estes predadores muito mal tratados pelo cinema.

The IMDB website points out that there are more than 180 films in which sharks appear.

There is a masterpiece (JAWS, by Steven Spielberg), some reasonable ones, like THE SHALLOWS and an impressive amount of bad films (some impossible to see), mistreating the biggest predator of the seas.

Even the JAWS franchise itself has three other very bad films. It got worse from film to film.

What, then, about these more appealing ones, like SHARKNADO (with flying sharks), MEGA SHARK, SEVERAL HEAD SHARKS or THE MEG, with a gigantic prehistoric shark that eats people, submarines and boats?

Mestre Spielberg took a great script (from Peter Benchley‘s book), a top ten cast (Roy Scheider, Robert Shaw and Richard Dreyfuss) with his usual category (although at the time of the film he was just a beginner) he made a film, in which we do not breathe much of the film.

The group of other sharks is grossly wrong to vulgarize the appearances of the villain of the seas, to exaggerate the violence of attacked people and blood in profusion and to use scripts that are usually lousy and without any logic.

For example, in shark films set in underwater stations, it is more than usual for the girl to go to an isolated part of the station to do something, just to isolate herself from the others so that the shark can attack her. More than a bad cliché.

And the final solutions of the films that are almost inevitably an explosion of the shark by whatever method? They are all very weak and without creativity.

Apart from Spielberg’s shark Bruce, I find these predators very badly treated by the cinema.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.