BLINDED: THOSE WHO KILL – Serial Killer nas Geladas Florestas da Dinamarca Enfrenta Duas Detetives

A ACORN TV e a BBC estão exibindo a série BLINDED: THOSE WHO KILL, em sua segunda temporada com oito episódios. A Profiler Louise Bergstein segue ajudando em investigações policiais sobre seral killers na Escandinávia.

Aqui ela vai para a cidade natal de sua mãe, na Dinamarca, onde uma velha amiga teve seu filho raptado e morto com toques de crueldade. Como está morrendo, a enlutada mãe resolve fazer da descoberta sua ” ultima missão de vida.

O cold case toma outra dimensão quando a dupla de investigadoras (Natalie Madueño e Karina Horup) ligam a morte do rapaz a outros desaparecimentos misteriosos de homens jovens na região.

Como é tradicional nos filmes e séries do chamado Nordic Noir, há crimes bizarramente violentos, policiais bem neuróticos e dramas familiares intensos se mesclando com as investigações.

Ah, outra coisa: paisagens belíssimas da região gelada da Dinamarca.

Basicamente há dois tipos de enredos policiais na televisão: o “whodunnit” em que o gancho principal para atrair o espectador é a descoberta do verdadeiro culpado entre os muitos suspeitos (Agatha Christie foi mestra neste tipo de narrativa) e um outro tipo de trama em que muito cedo se sabe quem é o bandido e a expectativa é como ele será pego. Um formato que a série COLUMBO esternizou.

BLINDED: THOSE WHO KILL se insere neste segundo tipo de narrativa. O espectador é informado que o serial killer é Peter Vinge (Tobias Santelmann), que passa a vida fazendo corridas na floresta, infernizando a ex-mulher e o filho adolescente e trabalhando em uma madereira.

O ponto é quando e como ele será identificado pela dupla de mulheres a cargo da investigação.

Uma breve pesquisa no GOOGLE mostra que há dezenas de séries de vários países com o título THOSE WHO KILL. Está virando quase uma franquia transnacional.

Esta história dinamarquesa se sustenta muito bem. Vale a pena ver.

ACORN TV and the BBC are showing the series BLINDED: THOSE WHO KILL, in its second season with eight episodes. Profiler Louise Bergstein continues to assist with police investigations of seral killers in Scandinavia.

Here she goes to her mother’s hometown in Denmark, where an old friend had her son kidnapped and killed with touches of cruelty. As she is dying, the bereaved mother decides to make her discovery ” last life mission.

The cold case takes on another dimension when the pair of investigators (Natalie Madueño and Karina Horup) link the boy’s death to other mysterious disappearances of young men in the region.

As is traditional in the Nordic Noir films and series, there are bizarrely violent crimes, very neurotic policemen and intense family dramas mixed with the investigations.

Ah, another thing: beautiful landscapes of the icy region of Denmark.

There are basically two types of police plots on television: the “whodunnit” in which the main hook to attract the viewer is the discovery of the real culprit among the many suspects (Agatha Christie was a master at this type of narrative) and another type of plot in which very early on it is known who the bandit is and the expectation is how he will be caught. A format that the COLUMBO series has stylized.

BLINDED: THOSE WHO KILL falls within this second type of narrative. The viewer is informed that the serial killer is Peter Vinge (Tobias Santelmann), who spends his life running in the forest, making his ex-wife and teenage son miserable and working in a lumber company.

The point is when and how it will be identified by the pair of women in charge of the investigation.

A brief survey on GOOGLE shows that there are dozens of series from different countries under the title THOSE WHO KILL. It is almost becoming a transnational franchise.


This one is very worthy.


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.