ANNA KARINA: A Musa da Nouvelle Vague (e de Godard) Faria Aniversário Hoje

Aproveitando todas as merecidas homenagens ao recém falecido cineasta Jean luc Godard, acho de justiça fazer um post sobre sua musa inspiradora, a atriz dinamarquesa Anna Karina, que trabalhou em sete filmes, inclusive PIERROT LE FOU, ALPHAVILLE e VIVER A VIDA.

O amor entre eles os levou a casar. O enlace durou de 1961 a 1967.

Anna Karina tinha sido modelo para Pierre Cardin e Cocco Channel.

Trabalhou com Luchino Visconti, Rainer Fassbinder e George Cukor.

Ganhou um Urso de Prata de Melhor Atriz, em Berlim, por seu papel chave em UMA MULHER É UMA MULHER, um Godard eterno, de 1961. (“Tu est infame”; “Non. Je suis une femme.”)

Apareceu em 85 filmes.

Morreu, aos 79 anos, em 2019.

É uma musa eterna do cinema.

Taking advantage of all the well-deserved tributes to the recently deceased filmmaker Jean luc Godard, I think it’s fair to make a post about his inspirational muse, the Danish actress Anna Karina, who worked on seven films, including PIERROT LE FOU, ALPHAVILLE and VIVRE SA VIE.

The love between them led them to marry. The marriage lasted from 1961 to 1967.

Anna Karina had been a model for Pierre Cardin and Cocco Channel.

She worked with Luchino Visconti, Rainer Fassbinder and George Cukor.

She won a Silver Bear for Best Actress in Berlin for her key role in 1961’s A WOMAN IS A WOMAN, an eternal Godard (“Tu est infame”; “Non. Je suis une femme.”)

She appeared in 85 films.

She died, aged 79, in 2019.

She is an eternal muse of cinema.


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.