WANDINHA: Tim Burton Volta com Tudo ao Seu Melhor Cinema

A NETFLIX está exibindo a primeira temporada de WANDINHA (WEDNESDAY), uma produção d e Alfred Gough e Miles Millar que tem o mérito inegável de nos devolver, no auge de sua criatividade, o genial cineasta Tim Burton.

Timothy Walter Burton, o Tim Burton é um californiano de 64 anos que pode ser qualificada como um artista completo. Seus melhores filmes (BEETLEJUICE, BATMAN e EDWARD MÃOS DE TESOURA) são obras personalíssimas, minuciosamente criadas nos menores detalhes, com um senso visual apuradíssimo e dialogando com o gótico, como poucas vezes se viu.

É certo que Burton muitas vezes se perde em seus delírios visuais que ficam tão rebuscados que sacrificam o filme em si. O visual pelo visual.

Por tudo isso, vê-lo outra vez acertando o alvo em WANDINHA é muito legal. A série, caprichadíssima, traz de volta o melhor cinema de Burton.

O ponto de partida (bem batido) é a clássica história da Família Addams, um grupo de pessoas que vive em uma mansão assombrada, convivendo com cadáveres, monstros, fantasmas e outros elementos do oculto.

O maior acerto de WANDINHA foi deslocar o centro da atenção. A protagonista é a filha adolescente totalmente deprimida, amarga e destrutiva (tem alergia a cores), que é internada na extraordinária Escola Never Mores, uma espécie de Hogwarts do mal. Ali todos os alunos, alunas e professores são freaks, monstros e/ou aberrações.

Assim, as cenas de Mortícia (Catherine Zeta Jones) e Gomez Addams (Luis Guzman) são flashes que passam pela história central, sem lhe roubar o protagonismo.

O segundo acerto foi criar uma série de crimes em Never More. Wandinha, usando todos os seus talentos do mal e a ajuda do Seu Coisa (aquela mãozinha clássica em versão de maravilhosos efeitos especiais) vai atrás do responsável pelos crimes bárbaros que ocorrem nas redondezas.

Não há como deixar de elogiar o trabalho de Jenna Ortega. A atriz de 20 anos e 44 filmes, tem fácil seu melhor trabalho. A Wandinha é tudo de bom. Inteligente, irônica, revoltada, anarquista, determinada, corajosa. Ortega faz o papel – com forte direção de Tim Burton – numa interpretação minimalista, onde raramente mexe o rosto. Um show de qualidade.

O elenco de apoio ainda tem Gwendoline Christie (a misteriosa Diretora de Never More), Riki Lindhome (a psiquiatra encarregada de enquadrar Wandinha), Jamie McShane (o obtuso xerife local), Joy Sunday (uma sereia que antipatiza com Wandinha desde o início) e Emma Myers (a colega de quarto de unhas mortais). Há ainda uma linda homenagem a Christina Ricci (que foi Wandinha nos longas da Família Addams), voltando como uma professora da cadeira de “Plantas Carnívoras”.

Lembro que muitos anos atrás, fui a um cinema em Nova Iorque ver o lançamento de SLEEPY HOLLOW (A LENDA DO CAVALEIRO SEM CABEÇA), um filme de Tim Burton. Poucas vezes me diverti tanto. O non sense, a violência estilizada, a cenografia brilhante, os delírios fantasmagóricos do cineasta eram um quadro impressionante.

Aliás, um dos elementos soberbos dos filmes de Tim Burton é a trilha sonora de seu brother Danny Elfman, desde o BATMAN. São verdadeiras sinfonias de Elfman para dar ainda mais impacto aos delírios do amigo. Outra vez acontece em WANDINHA que tem uma trilha inspiradíssima.

Ver a arte de Tim Burton em seu máximo faz de WANDINHA uma série imperdível.

Quero ver mais.

NETFLIX is showing the first season of WEDNESDAY, a production by Alfred Gough and Miles Millar that has the undeniable merit of bringing back to us, at the height of his creativity, the brilliant filmmaker Tim Burton.

Timothy Walter Burton, Tim Burton is a 64 year old Californian who can be qualified as a complete artist. His best films (BEETLEJUICE, BATMAN and EDWARD SSCISSORHANDS) are very personal works, meticulously created in the smallest details, with an extremely refined visual sense and dialoguing with the Gothic, as rarely seen.

Admittedly, Burton often gets lost in his visual delusions that get so far-fetched that they sacrifice the film itself. The look for the look.

For all that, seeing him hit the target again in WEDNESDAY is really cool. The series, very neat, brings back Burton’s best cinema.

The starting point (well beaten) is the classic story of the Addams Family, a group of people who live in a haunted mansion, living with corpses, monsters, ghosts and other elements of the occult.

WEDNESDAY greatest success was to shift the center of attention. The protagonist is the totally depressed, bitter and destructive teenage daughter (she has an allergy to colors), who is admitted to the extraordinary Never Mores School, a kind of evil Hogwarts. There, all students and teachers are freaks, monsters and/or aberrations.

Thus, the scenes of Morticia (Catherine Zeta Jones) and Gomez Addams (Luis Guzman) are flashes that pass through the central story, without stealing its protagonism.

The second hit was to create a series of crimes in Never More. Wandinha, using all her evil talents and the help of Thing (that classic little hand in a wonderful special effects version) goes after the person responsible for the barbaric crimes that occur in the vicinity.

I can’t help but praise Jenna Ortega‘s work. The 20-year-old actress, with 44 films, easily has her best work. Wednesday is all good. Intelligent, ironic, revolted, anarchist, determined, courageous. Ortega plays the role-with strong direction from Tim Burton-in a minimalist interpretation, where she rarely moves her face. A quality show.

The supporting cast still has Gwendoline Christie (the mysterious Director of Never More), Riki Lindhome (the psychiatrist in charge of framing Wandinha), Jamie McShane (the obtuse local sheriff), Joy Sunday (a mermaid who dislikes Wandinha from the beginning) and Emma Myers (Death Nails’ roommate). There is also a beautiful tribute to Christina Ricci (who was WEDNESDAY in the Addams Family feature films), returning as a professor of “Carnivorous Plants”.

I remember many years ago, I went to a movie theater in New York to see the release of SLEEPY HOLLOW, a Tim Burton film. Rarely have I had so much fun. The non sense, the stylized violence, the brilliant scenography, the filmmaker’s ghostly delusions were an impressive picture.

By the way, one of the superb elements of Tim Burton’s films is the soundtrack by his brother Danny Elfman, from BATMAN. They are true Elfman symphonies to give even more impact to his friend’s delusions. Another time it happens in WEDNESDAY, which has a very inspired track.

Seeing Tim Burton’s art at its best makes WEDNESDAY an unmissable series.

I want to see more.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s